Meteorologia

  • 21 JUNHO 2018
Tempo
21º
MIN 21º MÁX 21º

Edição

Governo apresenta nova proposta sobre legislação laboral na quinta-feira

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, disse hoje que vai apresentar a nova proposta do Governo sobre alterações à legislação laboral na quinta-feira, na próxima reunião da concertação social.

Governo apresenta nova proposta sobre legislação laboral na quinta-feira
Notícias ao Minuto

19:25 - 22/05/18 por Lusa

Economia Vieira da Silva

"Os parceiros enviaram um conjunto de comentários e de posições sobre a proposta que o Governo fez, estamos a analisá-los e iremos apresentar a nossa reação aos parceiros na próxima reunião", disse o ministro aos jornalistas, à margem da apresentação do relatório anual sobre a evolução da negociação coletiva em 2017 do Centro de Relações Laborais (CRL).

Segundo explicou, a proposta tem três pontos base: um sobre a promoção da negociação coletiva, outro sobre o combate à precariedade e, por último, o reforço da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT).

O primeiro documento do Governo foi apresentado aos parceiros sociais há dois meses, mas as propostas poderão agora sofrer algumas mudanças, depois dos contributos dos parceiros sociais, admitiu Vieira da Silva.

O ministro disse ainda não fazer previsões sobre a possibilidade de um acordo sobre as alterações à legislação laboral entre Governo, confederações empresariais e centrais sindicais.

As alterações ao Código do Trabalho serão debatidas em 06 de julho no parlamento.

Vieira da Silva disse ainda que o Governo não irá renovar o compromisso firmado entre os parceiros no ano passado de não denunciarem a caducidade das convenções coletivas, um compromisso que termina em junho.

"O que aconteceu foi um compromisso assumido entre parceiros, esse compromisso tem um prazo, termina em meados do ano, não é intenção do Governo sugerir aos parceiros que façam um novo commpromisso sobre essa questão", declarou Vieira da Silva.

Sobre os resultados do relatório apresentado pelo CRL, que nota o aumento das convençoes coletivas em 2017, o ministro salientou que existe uma recuperação da negociação coletiva, mas admitiu que ainda há um caminho a percorrer, salientando que há setores de atividade em que se verificam ainda "bloqueios".

A recuperação da negociação coletiva "é um caminho que compete sobretudo aos atores da negociação coletiva", ou seja, aos sindicatos e às empresas, sublinhou o governante durante a apresentação do relatório.

Segundo defendeu, "haverá sempre um espaço para a legislação produzir resultados favoráveis ao aumento da negociação coletiva, mas na verdade é mais difícil produzir consensos sobre que tipo de legislação é que a favorece".

"Não é possível numa sociedade democrática impor a negociação por decreto", salientou o ministro do Trabalho.

Segundo o relatório do CRL, o número de trabalhadores abrangidos por novas convenções coletivas em 2017 aumentou 9,5% face ao ano anterior para 820.883 e foram publicadas 208 convenções (acordos coletivos de trabalho, acordos de empresa e contratos coletivos), contra 146 em 2016.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.