Meteorologia

  • 24 JUNHO 2018
Tempo
18º
MIN 18º MÁX 18º

Edição

Dragão é líder e prova que não há miséria que... não dê em fartura

Depois do desaire pesado na Champions, o FC Porto goleou o Rio Ave, por 5-0, com golos de Sérgio Oliveira, Marcelo (p.b.), Soares (2) e Marega.

Dragão é líder e prova que não há miséria que... não dê em fartura
Notícias ao Minuto

19:29 - 18/02/18 por Fábio Aguiar

Desporto 23.ª jornada

Dragão volta a ser líder e prova que não há miséria que... não dê em farturaO FC Porto voltou a assumir a liderança isolada do campeonato ao golear o Rio Ave, em casa, por 5-0, num jogo marcado pelo regresso de Iker Casillas à baliza azul e branca. Sem Aboubakar, Danilo e Ricardo Pereira, os dragões tiveram uma entrada fulgurante na partida e praticamente resolveram a questão na primeira parte.

Sérgio Conceição tinha pedido uma reação forte e rápida e a verdade é que os dragões cedo interpretaram na plenitude as indicações do treinador. Logo aos 2' minutos, Sérgio Oliveira provou que, de facto, atravessa um dos melhores momentos da carreira e inaugurou o marcador na Invicta, assinando o terceiro golo no campeonato, curiosamente todos apontados nos últimos... três jogos.

Numa verdadeira avalanche ofensiva, o FC Porto intensificou ainda mais a pressão, encostou os vilacondenses às cordas e foi à procura do segundo. Aos 16', Cássio, com uma grande intervenção, desviou um livre direto de Brahimi para a trave e no minuto seguinte Marcelo impediu o golo já quase em cima da linha. Dois avisos sérios para o que Soares, aos 22', viria a fazer. Fazendo jus à sua condição de especialista nas bolas paradas, Alex Telles cobrou de forma exemplar no lado esquerdo do ataque azul e branco e o avançado brasileiro, mais alto que toda a defesa vilancondense, cabeceou para o fundo da baliza dos visitantes. Foi o terceiro jogo consecutivo do camisola 29 a marcar nas provas internas, depois de ter assinado o golo que deu a vitória ao FC Porto na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal frente ao Sporting e de ter bisado no triunfo (0-4) dos dragões na última jornada na visita a Chaves, e a 10.ª assistência do lateral no campeonato - registo que na última época permitiu a Gelson Martins arrecadar o prémio de melhor assistente da Liga.

A partir daqui, Francisco Geraldes ainda tentou remar contra a maré, pegar no jogo do Rio Ave e transportar a equipa para a frente, mas voltou a ser o conjunto de Sérgio Conceição a dilatar a vantagem. E como um azar nunca vem só, pouco depois da meia hora, Marega tentou servir Soares dentro da área, mas Marcelo, de forma infeliz, desviou a bola para a própria baliza, aumento para 3-0. Até ao intervalo, Yuri Ribeiro ainda conseguiu demonstrar a solidez defensiva dos portistas e ofereceu o golo a Guedes que, quando se preparava para reduzir distâncias, viu Alex Telles, 'in extremis', tirar-lhe o 'pão da boca.'

A segunda parte começou com uma boa oportunidade para o Rio Ave. Num daqueles livres que já se tornaram a sua imagem de marca, João Novais, melhor marcador da equipa, com 11 golos - oito no campeonato -, obrigou o regressado Iker Casillas a uma bela defesa. O médio foi, de resto, a maior ameaça da formação vilacondense - os únicos três remates até aos 57 minutos foram da sua autoria - e pouco depois voltou a testar a atenção do guardião espanhol. Mesmo com um ritmo bem mais pausado em relação ao primeiro tempo, o FC Porto conseguiu 'anexar' à vitória os contornos de goleada e, à entrada para o derradeiro quatro de hora, chegou ao 4-0. Alex Telles voltou a estar em evidência no capítulo das assistências e numa espécie e canto de 'mangas' arregaçadas, colocou a bola na cabeça de Marega e o maliano, ao primeiro poste, de cabeça, assinou o 17.º golo nesta edição da Liga Portuguesa - 18.º em todas as provas.

Até ao final os dragões ainda chegaram à mão cheia, num lance com alguma polémica à mistura. Recém-entrado, Hernâni caiu na área e na sequência da jogada Soares deu a melhor sequência a um passe de Maxi Pereira, colocando a bola no fundo das redes de Cássio. Chegou a pensar-se que o avançado brasileiro poderia estar em posição de fora-de-jogo, mas Carlos Xistra, após recorrer ao VAR, validou o quinto golo do atacante no campeonato. 

Onze oficial do FC Porto: Iker Casillas; Maxi Pereira, Felipe, Marcano e Alex Telles; Herrera, Sérgio Oliveira, Corona e Brahimi; Marega e Soares.

Onze oficial do Rio Ave: Cássio; Lionn, Nélson Monte, Marcelo e Yuri Ribeiro; Pelé, Tarantini e Francisco Geraldes; Barreto, João Novais e Guedes.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.