Meteorologia

  • 20 MAIO 2024
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 21º

Rui Vitória entende que treinar sob outras culturas dá maior conhecimento

O treinador Rui Vitória frisou hoje que as experiências no futebol estrangeiro lhe deram o dobro do conhecimento que dispunha quando saiu de Portugal, destacando a necessidade de capacidade de adaptação a distintos contextos.

Rui Vitória entende que treinar sob outras culturas dá maior conhecimento
Notícias ao Minuto

16:13 - 22/04/24 por Lusa

Desporto Portugal

"Saí de Portugal a não saber metade do que sei hoje. É a experiência que nos vai dando conhecimento. Saí daqui aos 47 anos e descobri um mundo completamente novo. Com diferentes realidades e modos de ver a vida, é preciso ter a capacidade de adaptação, perceber imediatamente o contexto e estar sempre atento a tudo", afirmou o técnico.

Rui Vitória participou numa conferência organizada pela Universidade Lusófona, sob o tema "A importância da academia na formação e sucesso de treinadores de futebol em Portugal", ao lado de Nelo Vingada e Mónica Jorge, partilhando ainda alguns exemplos concretos de experiências nos árabes do Al Nassr, na altura de Ramadão, nos russos do Spartak de Moscovo, com temperaturas muito negativas, e na cultura variada do Egito.

"Atualmente, o treinador tem de tomar decisões com um impacto tremendo na parte financeira de uma instituição e tem de dominar uma série de áreas, daí a importância de ter uma equipa técnica de qualidade. Temos de liderar jogadores, a equipa técnica, departamento médico, de comunicação, logística, etc., e ainda a administração, o que, por vezes, é o mais complicado. Tocar nestes aspetos todos não é fácil. Tem de se ter essa arte de gestão e rodearmo-nos bem", apontou o treinador ribatejano, de 54 anos.

A gestão de egos num balneário também foi um tema debatido na sessão, na qual Rui Vitória considerou que um futebolista de alto nível "é uma empresa" e é determinante ter a capacidade de "tocar nas necessidades de cada jogador", explicando que costuma pedir "um relatório exaustivo" com todos os aspetos pessoais de cada atleta do clube.

"Perceber as características de um jogador é determinante. Eu peço logo um relatório exaustivo de cada jogador. Se é muito novo e já tem um carro topo de gama, se tem 23 anos e já tem dois filhos, quem já se divorciou uma série de vezes... Eu gosto de saber todas essas informações para perceber que tipo de pessoa eu tenho à frente. Nós não devemos tratar todos por igual, devemos é ter as mesmas decisões para todo o grupo. Não há nenhum problema em tratar jogadores de maneira diferente", sublinhou ainda.

No final da conferência, instado a comentar a atualidade futebolística, Rui Vitória disse estar convencido de que, apesar de só acreditar quando for matemático, o Sporting vai levantar o troféu de campeão, destacando a competitividade na cauda da classificação.

"Não temos a luta que, se calhar, gostaríamos agora nesta fase final, de mais equipas a poder disputar o título, mas está um campeonato interessante, com a cauda da tabela a ser uma luta até final. Assisti este ano a equipas a praticar bom futebol durante certo período e depois a passar o testemunho a outras, não mantendo a consistência, com o Sporting a manter sempre uma qualidade forte e uma grande consistência", salientou.

Atualmente desempregado, depois da passagem pela seleção egípcia, finalizada com a eliminação nos oitavos de final da última edição da Taça das Nações Africanas (CAN), o treinador confessou estar a usufruir deste período de pausa, embora admita algumas conversas.

"É uma realidade estar agora a treinar no estrangeiro e estou convencido de que pode voltar a acontecer isso com muita possibilidade. Tem havido conversações, mas, nesta altura, tem a ver fundamentalmente com sentir que quero ir com o que me oferecem. Tem de haver uma combinação entre o que oiço e o que quero no momento", realçou.

Com carreira de treinador iniciada no Vilafranquense, em 2002/03, Rui Vitória passou por Fátima, Paços de Ferreira, Vitória de Guimarães e Benfica antes de rumar a outros países, no Al Nassr (Arábia Saudita), Spartak de Moscovo (Rússia) e a seleção do Egito.

Pelo Benfica, conquistou um bicampeonato (2015/16 e 2016/17), duas supertaças Cândido de Oliveira (2016 e 2017), uma Taça de Portugal (2016/17) e uma Taça da Liga (2015/16), tendo ainda no currículo outra prova 'rainha', pelo Vitória de Guimarães (2012/13), e um campeonato da Arábia Saudita e uma Supertaça saudita.

Leia Também: Antigos internacionais de futebol portugueses jogam em Macau. Eis a data

Recomendados para si

;

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório