Meteorologia

  • 16 ABRIL 2024
Tempo
23º
MIN 13º MÁX 26º

Governo espanhol diz que suspeita de corrupção não ameaça Mundial'2030

O governo espanhol descartou hoje que o processo judicial relacionado com suspeitas de corrupção na federação de futebol ponha em risco a organização do Mundial2030 por Espanha, Portugal e Marrocos.

Governo espanhol diz que suspeita de corrupção não ameaça Mundial'2030
Notícias ao Minuto

14:52 - 03/04/24 por Lusa

Desporto Mundial'2030

"A mera existência desta operação demonstra que as instituições democráticas e o sistema judicial funcionam em Espanha e isso é uma garantia para a organização e a celebração de qualquer evento internacional como o Mundial de futebol", disse o ministro da Presidência e da Justiça, Félix Bolaños.

O ministro sublinhou que "as forças de segurança do Estado e os juízes estão a fazer o seu trabalho, que é perseguir o delito e perseguir os delinquentes".

Félix Bolaños respondeu desta forma a perguntas dos jornalistas, em Madrid, sobre a investigação judicial por suspeita de corrupção na Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) entre 2018 e 2023, quando Luis Rubiales presidia à instituição.

Rubiales foi hoje detido no aeroporto de Madrid pela polícia, por causa deste caso, depois de aterrar em Espanha vindo do estrangeiro.

Depois de identificado e notificado do processo judicial, Rubiales saiu em liberdade, ficando agora a aguardar a convocatória para ser ouvido pela justiça, segundo diversas fontes citadas pelos meios de comunicação social espanhóis.

Foram-lhe também apreendidos telemóveis e outros dispositivos móveis, como havia solicitado a juíza que tutela a investigação, disseram as mesmas fontes.

O ex-presidente da RFEF chegou hoje a Madrid num voo comercial oriundo da República Dominicana e foi abordado por elementos da Guarda Civil ainda dentro do avião, segundo o canal de televisão La Sexta, que tinha uma equipa de jornalistas no mesmo voo.

Rubiales foi depois levado num carro da Guarda Civil, um momento transmitido pela mesma televisão.

Em investigação estão possíveis irregularidades em contratos na RFEF quando Rubiales era presidente da federação, cargo que abandonou na sequência da polémica do beijo à jogadora Jenni Hermoso.

Rubiales negou as acusações de corrupção numa entrevista à televisão La Sexta que será integralmente transmitida hoje.

O ex-presidente da RFEF estava na República Dominicana quando há duas semanas foi notificado pela justiça, tendo a sua defesa informado a juíza do caso de que estava fora de Espanha por questões laborais, que voltaria ao país em 06 de abril e que ficaria à "total disposição" das autoridades.

Rubiales acabou por antecipar o regresso a Espanha e aterrou esta manhã em Madrid, depois de na segunda-feira o alojamento em que estava na República Dominicana ter sido alvo de buscas por elementos da Guarda Civil em colaboração com autoridades do país americano, segundo os 'media' espanhóis.

No âmbito desta investigação foram já detidas várias pessoas em 22 de março, quando houve buscas na sede da RFEF, em Madrid, e na casa de Luis Rubiales, em Granada, entre outros locais.

Segundo documentos citados hoje pela agência de notícias EFE, a justiça espanhola já bloqueou mais de 50 contas bancárias de diversas pessoas, incluindo algumas de Rubiales, e apreendeu também um carro do ex-presidente da federação.

O processo afeta supostas irregularidades nos contratos celebrados pela RFEF desde 2018, período em que o organismo esteve sob a presidência de Luis Rubiales e que inclui a realização da Supertaça espanhola de futebol na Arábia Saudita.

Recomendados para si

;

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório