Meteorologia

  • 12 ABRIL 2024
Tempo
26º
MIN 15º MÁX 27º

Artur Jorge. Bernardino Pedroto vinca legado de uma "pessoa singular"

O antigo futebolista e treinador Bernardino Pedroto enalteceu hoje o legado da "pessoa extremamente singular e inteligente" que foi Artur Jorge, antigo futebolista e treinador que morreu aos 78 anos.

Artur Jorge. Bernardino Pedroto vinca legado de uma "pessoa singular"
Notícias ao Minuto

13:09 - 22/02/24 por Lusa

Desporto Óbito

Colega de Artur Jorge como jogador, no Benfica, durante a época 1973/74, Bernardino Pedroto recordou a "paixão incrível" com a qual o antigo ponta de lança internacional português e treinador campeão europeu pelo FC Porto, em 1987, "vivia o jogo" e considera que é preciso "salvaguardar os valores que sempre teve".

"O Artur Jorge era uma pessoa extremamente singular. Era diferente, uma pessoa que sempre se interessou pela cultura, uma pessoa extremamente inteligente. Tivemos o prazer de conviver juntos no Benfica. Era um excelente colega. Era um líder", realçou, em declarações à Lusa.

Também na condição de vice-presidente da Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF), o antigo médio e treinador manifestou "um sentimento de pesar muito grande pela perda" de um homem que "vivia agarrado a tudo o que lhe interessasse sobre a ciência e a humanidade".

Artur Jorge servia-se, aliás, da "procura da ciência e da procura do conhecimento" para evoluir como treinador, sendo disso o exemplo o curso de difícil acesso que frequentou na cidade alemã de Leipzig, recordou Bernardino Pedroto, de 70 anos.

"Isso mostrou a diferença dele para todos os outros treinadores. Isso revela uma personalidade incrível de um colega com princípios e valores extraordinários. Era poeta, sonhador. Há tanta coisa que ele nos deixou. É um legado que temos de estimar", frisou.

Campeão angolano como treinador em quatro ocasiões, Bernardino Pedroto considerou ainda que a experiência de Artur Jorge como adjunto de José Maria Pedroto no Vitória de Guimarães, na época 1980/81, o ajudou a moldar-se como treinador.

"O meu pai, José Maria Pedroto, percebeu perfeitamente que estava perante um homem que se preocupava com o futuro e que tinha ideias extraordinárias. Por isso, acabou por ser 'mentor' de Artur Jorge", referiu o antigo médio de Vitória de Guimarães, Marítimo e Portimonense, além do Benfica.

Artur Jorge estreou-se como treinador principal no Belenenses, em 1981/82, temporada em que também esteve no Portimonense, clube no qual manter-se-ia até ao final da época 1983/84.

O treinador rumou ao FC Porto em 1984/85, do qual saiu após a conquista da Taça dos Campeões Europeus para treinar os franceses do Matra Racing, regressando aos 'dragões' em 1988/89.

A primeira passagem pela seleção portuguesa acontece em 1990 e 1991, iniciando o falhado apuramento para o Euro1992, seguindo-se uma passagem pelo Paris Saint-Germain, antes do regresso a Portugal para treinar, sem sucesso o Benfica.

Artur Jorge voltou a comandar a seleção no apuramento para o Mundial1998, que também falhou, seguindo-se passagem por Tenerife, Vitesse, Paris Saint-Germain, Al Nassr e Al Hilal (Arábia Saudita), Académica, CSKA Moscovo, Al Nasr (Kuwait), Creteil Lusitanos e Alger, além da seleção dos Camarões e da Suíça.

Nascido no Porto, Artur Jorge iniciou a carreira de futebolista no FC Porto, na época 1964/65, e destacou-se ao serviço da Académica, do Benfica e do Belenenses, até 1978, tendo conquistado quatro títulos de campeão nacional, duas Taças de Portugal e somado 16 internacionalizações pela seleção portuguesa.

Leia Também: Pedro Proença recorda Artur Jorge e fala em "perda irreparável"

Recomendados para si

;

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório