Meteorologia

  • 20 MAIO 2024
Tempo
20º
MIN 13º MÁX 20º

Angélica André quer dar o melhor em Paris depois do bronze nos Mundiais

A nadadora Angélica André garantiu hoje que a medalha de bronze nos 10 quilómetros de águas abertas dos Mundiais de desportos aquáticos tem "um sabor especial" e é o "culminar de muitos anos de trabalho".

Angélica André quer dar o melhor em Paris depois do bronze nos Mundiais
Notícias ao Minuto

18:34 - 03/02/24 por Lusa

Desporto Natação

"Esta medalha tem um sabor muito especial, garante o apuramento olímpico e é o culiminar de muitos anos de trabalho", disse Angélica André, em declaração à agência Lusa, destacando o apoio dado pelo FC Porto, pela Federação Portuguesa de Natação e pelo Comité Olímpico.

A classificação conseguida em Doha, onde terminou apenas atrás da neeerlandesa Sharon van Rouwendaal, e da espanhola Maria de Valdés (1:57.26,90), medalhas de ouro e prata, respetivamente, garantiu a Angélica André a qualificação para os Jogos Olímpicos Paris2024.

"Vão ser os meus segundos Jogos, já estive em Tóquio", lembrou Angélica André, admitindo que o bronze no Mundial pode fazer com que em Paris "as pessoas tenham os olhos" postos nela.

A nadadora do FC Porto, que já tinha conseguido um bronze nos Europeus de 2022, disputados em Roma, não promete medalhas em Paris, mas deixou uma garantia: "A única coisa que posso garantir é que vou dar o meu melhor, não posso prometer medalhas".

Angélica André, que conseguiu a primeira medalha feminina da natação portuguesa em competições mundiais, explicou que durante a prova, que nadou em 1:57.28,20 horas, se sentiu sempre bem, e elegeu o controlo emocional como a maior dificuldade.

"Senti-me bem durante a prova, não houve muitas dificuldades, o mais difícil foi mesmo o controlo emocional durante toda a prova, ou seja durante quase duas horas", afirmou.

A nadadora, de 29 anos, considerou que as condições do Old Doha Port, onde decorreu a prova, eram boas e que, "de uma forma geral, toda a gente se adaptou bem".

"O nadador de aguas abertas tem de estar adaptado a tudo, havia alguma ondulação e a água estava a 20 graus", referiu, admitindo: "para mim até podia estar um bocadinho mais fria".

Angélica André entra para a história como a primeira nadadora de qualquer género a conseguir para Portugal uma medalha em prova absoluta do calendário olímpico em Mundiais.

No ano passado, nos Mundiais disputados em Fukuoka, no Japão, Diogo Ribeiro fez história para a natação portuguesa, ao conquistar a medalha de prata nos 50 metros mariposa, distância que não integra o calendário olímpico.

Portugal está representado por um total de 15 nadadores em três das seis competições dos Mundiais de desportos aquáticos: natação artística, natação pura e águas abertas.

Leia Também: Angélica André assegura vaga olímpica nos 10 km de águas abertas

Recomendados para si

;

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório