Meteorologia

  • 26 JUNHO 2022
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 22º

"Fazendo um golo primeiro que o Liverpool, o rumo do jogo pode mudar"

Encarnados jogam a continuidade na Liga dos Campeões em casa do Liverpool. Técnico e jogador brasileiro falaram à imprensa antes da viagem para Inglaterra.

"Fazendo um golo primeiro que o Liverpool, o rumo do jogo pode mudar"
Notícias ao Minuto

14:51 - 12/04/22 por Notícias ao Minuto

Desporto Nélson Veríssimo

O Benfica disputa esta quarta-feira a segunda mão dos quartos de final da Liga dos Campeões, num duelo em casa do Liverpool e no qual as águias têm de marcar pelo menos dois golos se quiserem seguir em frente na prova.

Na antevisão a esse duelo em solo inglês, Nélson Veríssimo garantiu que a equipa vai com a ambição de poder assegurar um lugar nas meias-finais da prova milionária, apesar de reconhecer que esta é uma tarefa difícil.

Recusando fazer uma gestão tendo em vista o duelo de domingo diante do Sporting, Nélson Veríssimo lamentou a ausência de Rafa Silva do duelo em Anfield Road, mas mostrou confiança no substituto do internacional luso.

Fique com o essencial da conferência de imprensa de Nélson Veríssimo e de Everton:

Nélson Veríssimo:

Benfica pode regressar moralizado com qualquer resultado? Sim, acredito que sim. Nós olhamos para o rendimento desta equipa na Champions, fase a eliminar, fase de grupos, a forma como jogámos e correspondemos. Tem tudo para correr bem, jogadores não têm dúvidas das capacidades deles, sabem que vamos jogar contra uma equipa difícil mas temos capacidade para dar uma resposta positiva. Isso é que moraliza as equipas e é com esse intuito que vamos entrar no jogo

Mensagem para os adeptos: Mais do que eu dizer o que possa dizer, é ver o que os adeptos nos transmitem. Sentimos isso quando fomos a Amesterdão, nos jogos que temos feito aqui em casa... transportando o sentimento que nós sentimos em Amesterdão, contra o Belenenses SAD, numa competição diferente, a quantidade de gente que sabemos que vai estar em Inglaterra. Sabemos que vão apoiar a equipa e que estão connosco, e nós queremos dar algo em troca. Há jogos em que vamos conseguir, outros que não, mas no fundo temos de chegar ao final do jogo e os nossos sócios sentirem que tentámos tudo para conseguir, e que acima de tudo teve abordagem que transmite a ideia de que é possível. No final, é tentar ganhar o jogo.

Segurar o ímpeto do Liverpool ou marcar primeiro: Olhando para o Liverpool, temos de controlar tudo na dinâmica deles. Pela qualidade de jogo que têm, individualidades que têm... tendo na consciência que não podemos sofrer golo, temos de marcar. Reconhecer que temos desvantagem de dois golos e não nos podemos atirar ao jogo de forma muito aberta, aí vamos criar espaços para eles aproveitarem. Temos de ter capacidade e consistência de aguentar. Acreditamos que eles vão querer resolver nos primeiros minutos. É suster o ímpeto inicial e o nosso momento há de aparecer. Depois temos de garantir equilíbrio e consistência. Foi para isso que preparámos a equipa. Vamos com essa ambição e com a crença de que é possível. Sentimos que os jogadores acreditam nisso, e nós também o fazemos.

Darwin em destaque. Medo dele sair do clube no verão? É a lei do mercado. Obviamente que jogadores como o Darwin, e os melhores jogadores, a ideia seria mantê-los todos, mas estamos num mercado de concorrência, em que os clubes precisam de capital para a gestão diária. Falando concretamente do Darwin, perceber que está a ter uma evolução muito grande esta época, tem qualidade inata, está a construir o seu caminho em função do que tem vindo a fazer individualmente e em equipa. No final da época, se tiver de ir, em função do interesse de outros clube e do Benfica, temos de aceitar essa saída, mas é a lei do mercado. Perceber que em Portugal, as coisas são mesmo assim. Temos de encarar isto numa perspetiva de contratar, valorizar, potenciar, e depois há mercados mais fortes e em função disso há jogadores que não conseguimos manter. O Benfica não foge a isso

Derrota do dérbi tira Benfica do acesso direto à Champions no próximo ano: Vale mais passar na Champions ou comprometer a próxima época? O jogo mais importante é o do Liverpool, indiscutivelmente. Sabemos os resultados, a classificação, a diferença pontual para os adversários... aqui não é uma questão de escolhas, mas de damos importância a todas as competições em que estamos envolvidos, independentemente dos resultados serem negativos ou positivos. O nosso foco é o jogo de amanhã, temos de dar a importância devida a esse jogo, admitindo que estamos numa situação complicada, mas com o sonho de poder passar a uma meia-final. O jogo do Sporting vem a seguir.

Gestão tendo em vista o dérbi de domingo: Não, não vamos fazer gestão. O jogo de amanhã é o jogo de amanhã e sabemos da importância que tem. Estamos numa eliminatória onde não estamos há cinco ou seis anos, e estamos à beira, ainda que saibamos dessa dificuldade, de chegar às meias-finais da Liga dos Campeões, algo que o clube nunca alcançou neste formato. Vamos com esse sonho de que é possível e entrar com a equipa mais forte, tendo em consideração que os que não entrarem também poderão dar resposta positiva. Temos confiança e ambição de que as coisas vão correr bem.

Equipa com falhas nos últimos 20 metros, na última decisão: Acreditamos que o posicionamento da equipa em termos ofensivos e defensivos tem de lá estar, mas também temos de dar liberdade para o jogador decidir. Olhando para o outro jogo com o Liverpool, sentimos que tivemos qualidade no processo ofensivo e último terço, mas nem sempre tomámos as melhores decisões. Não vou criticar os jogadores, a 20 metros da baliza só têm os olhos na baliza. Temos de ter consciência que em determinados momentos há colegas que podem ser uma melhor opção para fazer o passe e depois rematarmos. Fizemos essa análise, tivemos algumas situações com esse cariz, de haver melhor solução, de respeitar uma desmarcação e podermos colocar a bola nesse colega para estar em melhores condições para finalizar. Não podemos estar a castrar o jogador no sentido de estar à frente da baliza e rematar. Temos de ter essa capacidade de perceber que podemos rematar à baliza, mas que há outros em melhores posições.

Benfica sempre a perder nos últimos três jogos: Temos de estar sempre preocupados quando sofremos golos. Da mesma forma que temos feito golos em todos os jogos, também os temos sofrido. É preciso perceber de que forma surgem esse golos sofridos e trabalhar de forma a que o erro não volte a acontecer, é por aí que temos vindo a trabalhar. Sabemos que contra a qualidade ofensiva destes jogadores há determinados comportamentos que devemos evitar, no sentido de fechar as linhas defensivas, tendo atenção à largura e profundidade deles. Encontramos muitas dinâmicas coletivas na equipa deles, jogadores acrescentam qualidade, em termos individuais e coletivos temos de estar numa noite muito boa para não permitir os espaços que eles querem explorar. Acreditamos da mesma forma que vamos marcar o tal golo que nos relance na eliminatória e estar com consistência defensiva necessária para evitar sofrer o golo que não podemos sofrer.

Sentimentos para esta segunda mão: Vamos com a ambição natural de quem acredita muito naquilo que está a fazer. Sabemos que levamos uma desvantagem de dois golos, mas acreditamos que as coisas podem mudar. Fazendo um golo primeiro que o Liverpool, o rumo do jogo pode mudar. Apesar de termos perdido o jogo da primeira mão, olhando para aquilo que foi jogado, e após a análise que fizemos, é perceber que apesar da dificuldade que sabemos que vamos encontrar, porque vamos jogar com uma das melhores equipas do mundo, temos de acreditar. Certamente vão haver espaços que podemos explorar e temos de ser eficazes na concretização e consistentes no processo defensivo.

Sem Rafa em Liverpool: Todos sabemos da importância dele na nossa equipa, é um jogador com características diferenciadas. Temos de lamentar a sua ausência para este jogo, mas temos soluções no plantel que vão dar uma resposta positiva. Tendo em conta aquilo que vamos encontrar amanhã no jogo, temos de optar pelo jogador que se adeque mais à estratégia de jogo. Temos muita confiança nos outros jogadores que temos no plantel.

Everton: 

Importância da participação na Liga dos Campeões: É um orgulho, todos os jogadores que jogam numa equipa como o Benfica têm de estar preparados para este tipo de jogo. Jogadores de uma equipa com esta história europeia como o Benfica têm de estar sempre bem preparados. Vamos estar concentrados, preparámos bem este jogo, que qualquer jogador quer jogar. Temos de procurar disfrutar do jogo e dar o nosso melhor para sairmos de lá com um resultado positivo.

Dificuldades que encontrou na primeira mão: Tenho procurado estudar o adversário depois do primeiro jogo. É diferente apenas olhar e depois jogar contra o adversário. Procurei analisar analisar melhor as qualidades individuais do Alexander-Arnold e do central Konaté, que têm qualidade. Tenho procurado os pontos fracos deles. Espero estar numa noite feliz para dar uma alegria aos nossos adeptos.

Esquema tático em que se sente mais confortável: Para mim é indiferente. Jogadores do meu nível tem de se adaptar a qualquer esquema em que a equipa jogue. Onde o mister me colocar, eu vou procurar dar o meu melhor para elevar o nível da equipa e me adaptar o mais rápido possível.

Ausência de Rafa: Sabemos da importância dele, mas quem o mister escolher para jogar está preparado. Somos uma equipa e temos de ter essa união, independentemente de quem vai jogar. Creio que irá suprir a ausência do nosso companheiro.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório