Meteorologia

  • 29 JULHO 2021
Tempo
27º
MIN 17º MÁX 27º

Edição

Orlando Sá vê Bélgica "completamente ao alcance" de Portugal

A Bélgica reúne "futebolistas de topo" pertencentes a "clubes de renome", mas está "completamente ao alcance" de Portugal no domingo, em jogo dos 'oitavos' do Euro2020, projetou à agência Lusa o ex-internacional português Orlando Sá.

Orlando Sá vê Bélgica "completamente ao alcance" de Portugal
Notícias ao Minuto

09:43 - 25/06/21 por Lusa

Desporto Euro'2020

"O facto de a Bélgica ter feito uma fase de grupos mais tranquila, estar bastante confiante e ter mais dois dias de descanso equilibra um pouco o favoritismo, mas acho que acaba sempre por cair para o lado de Portugal. Num cômputo geral, penso que somos mais fortes", avaliou o ex-avançado, que foi goleador na Liga belga pelo Standard de Liège.

Portugal, terceiro classificado do Grupo F, com quatro pontos, e Bélgica, vencedor da 'poule' B, com nove, lutam pelo acesso aos quartos de final no domingo, às 21:00 locais (20:00 em Lisboa), no Estádio Olímpico de La Cartuja, na cidade espanhola de Sevilha.

"Temos mais produto e qualidade e há que ambicionar controlar o jogo para obter um resultado positivo. Depois do que mostrámos contra a França [2-2], temos de entrar humildes, mas cientes de que somos os campeões europeus e a Bélgica é uma seleção completamente ao nosso alcance, mesmo chegando em melhor condição física", notou.

Orlando Sá, que terminou a carreira em 26 de maio, quando completou 33 anos, realça o "entusiasmo" gerado pela exibição de Portugal, "principalmente na segunda parte", frente aos campeões mundiais, além das mexidas de Fernando Santos "que resultaram bem".

"Vamos jogar contra uma seleção que eu conheço bem, de um país onde fui muito feliz, que tem vários jogadores que defrontei e sobre os quais pude acompanhar de perto as suas carreiras. Posso dizer que as expectativas estão altas e que, em princípio, irei estar no domingo em Sevilha e serei mais um dos muitos que irão apoiar a seleção", revelou.

Equiparando o "crescimento enorme em qualidade e organização" dos campeonatos dos dois países, o vencedor da edição 2017/18 da Taça da Bélgica, sob comando de Ricardo Sá Pinto, une a "grande evolução na formação" ao atual poderio dos 'diabos vermelhos'.

"A maior parte dos jogadores atualmente bem-sucedidos na seleção cresceram em academias de bastante qualidade, de clubes como o Gent, Genk, Standard de Liège ou Anderlecht. A Liga está muito mais competitiva e desde muito cedo que os grandes emblemas vão lá comprar jogadores, tal como sucede por cá. Isso automaticamente faz com que a qualidade do jogador belga melhore com o passar dos anos", defendeu.

Mesmo sem ter partilhado balneário com qualquer atleta presente na convocatória pelo espanhol Roberto Martínez, o ex-dianteiro, que marcou 31 jogos em 88 encontros pelos 'rouches' em duas fases distintas, entre 2016 e 2020, destaca figuras conceituadas.

"O Thibaut Courtois faz parte dos dois ou três melhores guarda-redes do mundo. O Kevin De Bruyne também está no 'top-3' de melhores médios da atualidade e há o Romelu Lukaku, que está numa forma incrível, com confiança excecional e é, quanto a mim, o melhor avançado, a par do Robert Lewandowski. Três nomes acima da média", elencou.

Orlando Sá atenta ainda em Eden Hazard, que voltou à titularidade no triunfo sobre a Finlândia (2-0), mas cuja "irregularidade exibicional" tanto o pode levar a "criar um lance onde desencanta um golo sozinho", como "a ter um dia em que não faça a diferença".

"A fase de grupos é uma coisa, mas agora as eliminatórias são outra e a parte física poderá ser determinante. A Bélgica fez o previsível no grupo em que estava inserido [derrotou ainda Rússia e Dinamarca]. Era expectável que acabasse em primeiro e conseguisse fazer golos atrás de golos, olhando aos nomes que tem na frente", referiu.

Se o ataque é "conhecido por todos" e o meio-campo reúne diversidade de opções entre titulares e suplentes, o setor defensivo, normalmente disposto com três centrais, denota uma "desvantagem significativa" a nível de "experiência e rotatividade" face a Portugal.

"Tudo depende da forma como o 'mister' Fernando Santos quiser jogar e do sistema que usar. Temos qualidade, se bem que a Bélgica também a tem, para assumir o jogo, à imagem do que fizemos contra a França na segunda parte, em que estivemos por cima em alguns momentos e conseguimos trocar a bola no meio-campo adversário", afiançou.

Com uma internacionalização efetuada em 2009, Orlando Sá sublinha a preferência por médios como João Moutinho ou Renato Sanches, novidades no último 'onze' luso, que "gostam de ter bola, assumem o jogo, procuram transições e põem a equipa a jogar".

"Quando pensamos que o Cristiano Ronaldo já nos surpreendeu o suficiente, há sempre mais um recorde a bater e mais números a acrescentar. É um jogador distinto, que está com estatísticas para ser considerado claramente o melhor jogador de todos os tempos. Que feche o Europeu com chave de ouro e continue a ajudar como tem feito", desejou.

O ex-dianteiro de Sporting de Braga, FC Porto e Nacional optou também por valorizar Pepe, de 38 anos, por quem tem "admiração especial", dizendo ser "incrível" como "continua a surpreender tudo e todos e a mostrar que é um central de 'top' mundial".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório