Meteorologia

  • 26 FEVEREIRO 2020
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 17º

Edição

Os caminhos para o golo de Benfica e FC Porto: Da bola corrida à parada

Encarnados atacam mais pelo lado direito e marcam mais vezes através de jogadas corridas. Portistas são os 'reis' das bolas paradas.

Os caminhos para o golo de Benfica e FC Porto: Da bola corrida à parada

O clássico entre FC Porto e Benfica que teve lugar no passado fim de semana, que os portistas venceram por 3-2, não só relançou a corrida pelo título de campeão nacional, como também expôs um dado estatístico que teve muita influência mo resultado final do encontro.

A maior diferença, de momento, entre FC Porto e Benfica não são apenas os quatro pontos que os separam na tabela classificativa, mas também a forma como estas duas equipas chegam ao golo.

Os encarnados, melhores marcadores do campeonato com 49 golos, chegam mais vezes ao golo através de jogadas de bola corrida, ao passo que os dragões são dos mais eficazes do campeonato nacional nas bolas paradas (cantos, livres e lançamentos), mas também na conversão de grandes penalidades.

Segundos dados estatísticos consultados pelo Desporto ao Minuto, a equipa de Bruno Lage é a mais forte em bolas corridas. As águias marcaram 30 dos 49 golos no campeonato nacional através de jogadas de bola corrida, contra os 23 dos portistas (61 por centro contra 30) Contudo, o FC Porto domina nas bolas paradas com 13 golos através de pontapés de canto, livres ou lançamentos de linha lateral, ao passo que neste capítulo o Benfica soma apenas nove (52 por centro contra 18). Os portistas também marcam mais através da marcação de grandes penalidades, com cinco remates certeiros da marca dos onze metros contra três do clube da Luz.

No que toca aos golos sofridos, tanto Benfica como FC Porto sofrem sobretudo através de jogadas de bola corrida. Os encarnados, a melhor defesa do campeonato, já sofreram seis golos através deste tipo de lance, ao passo que os portistas contam com mais dois tentos sofridos neste aspecto. Já as bolas paradas valeram três golos sofridos aos azuis e brancos e um às águias - destaque para o facto de a equipa de Sérgio Conceição ainda não ter sofrido golos de penálti, contra os dois da formação lisboeta.

Para além disso, o FC Porto é também uma das equipas mais fortes no capítulo das bolas ganhas pelo ar. Na Liga, apenas Boavista e Paços de Ferreira ganham mais duelos aéreos por encontro do que o FC Porto. Por outro lado, o jogo aéreo é um dos calcanhares de Aquiles deste Benfica. Os encarnados surgem na parte final desta estatísticas como a terceira equipa menos capaz pelo ar.

Um outro factor que une as duas equipas é a forma como atacam. Tanto dragões como águias realizam as suas saídas para ataque pelas zonas laterais e preferencialmente pela direita, algo um pouco contraditório até porque os laterais mais ofensivos das duas equipas jogam no lado oposto do campo de jogo: Grimaldo e Alex Telles. Se no FC Porto os dados são mais distantes no que toca aos ataques pela direita e pela esquerda (39 contra 32 por centro), no Benfica esta estatística é mais aproximada (38 contra 35 por cento).

A consistência é também um outro dado que pode justificar o domínio do Benfica nestes capítulos: mais golos marcados (48), menos golos sofridos (11), mais vitórias (18), menos empates (0), menos derrotas (2), a par do FC Porto. Nos dragões, Corona é o único jogador presente em todos os jogos, já as águias apresentam quatro (Vlachodimos, Rúben Dias, Grimaldo e Pizzi).

Alex Telles, o 'senhor' bolas paradas no FC Porto

Alex Telles é um dos atletas que mais contribui para a estatística relacionada com o facto de o FC Porto ser a equipa mais dominadora do campeonato nas bolas paradas. O brasileiro é o marcador oficial de grandes penalidades e livres diretos, sendo por isso responsável por grande parte dos golos portistas através de lances de bola parada.

O internacional canarinho chegou a atravessar um período mais negativo no início desta temporada quando ficou de fora das opções de Sérgio Conceição sem grandes explicações, mas com o passar dos jogos tornou-se num dos elementos mais influentes dos azuis e brancos, com exibições sem mácula na defesa e determinante também no ataque. 

No encontro de quarta-feira com o Académico de Viseu o lateral esquerdo chegou ao nono golo na presente temporada e faturou pela primeira vez em três partidas desde que chegou aos azuis e brancos em 2016/17. Soma ainda nove assistências em todas as competições.

Estatísticas Benfica FC Porto
Golos de bola corrida 30 23
Golos de bola parada 9 13
Golos de penálti 3 5
Golos em contra-ataque 3 1
Autogolo 4 2

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório