Meteorologia

  • 20 JULHO 2019
Tempo
25º
MIN 22º MÁX 29º

Edição

FC Porto falhou nos Arcos? Sim. E há um dado histórico que o confirma

Pupilos de Sérgio Conceição empataram, 2-2, na abertura da 31.ª jornada da Liga portuguesa, diante do Rio Ave, e podem ver o Benfica fugir... apenas a três rondas do fim.

FC Porto falhou nos Arcos? Sim. E há um dado histórico que o confirma

difícil explicar… É impensável uma equipa que está a lutar para ser campeã e sofrer estes dois golos como sofremos. Os culpados disto fomos nós, os jogadores. Não podemos cometer este tipo de erros num jogo tão importante como este, nesta altura da época".

As palavras são de Pepe e traduzem a insatisfação e a incredulidade de um FC Porto que tinha a vitória no 'saco', à passagem dos 85 minutos, para cinco minutos volvidos mergulhar num 'filme de terror', como poucas vezes viveu ao longo de toda a sua história.

Sim. Porque os dados estatísticos confirmam isso mesmo. Em 165 jogos a vencer, por 2-0, fora de portas, os dragões chegaram ao minuto 75 a vencer em 160 dessas ocasiões, terminando apenas, em cinco jogos, com resultados distintos - quatro empates e uma derrota.

Para o Rio Ave, o ponto alcançado traduziu-se em ouro. Primeiro, por ter sido alcançado num final digno de um filme de Alfred Hitchcock e, depois, pelo facto dos vilacondenses terem averbado cinco derrotas consecutivas na última 'mão' de encontros, para na noite desta sexta-feira saborear resultado atipicamente distinto.

O rio correu azul e calmo, até à tempestade final

O FC Porto começou autoritário e eficaz, convertendo os seus dois primeiros remates à baliza de Leonardo em golo. Aos 18 minutos, de forma invulgar, Brahimi abriu o marcador de cabeça, para três minutos depois dilatar a vantagem, por intermédio de Marega.  A bola desviou no defesa brasileiro Junio Rocha e chegou ao fundo da baliza, para o 2-0.

Até ao final da primeira parte, o Rio Ave permaneceu estéril de ideias, sendo as suas investidas facilmente anuladas pela defesa portista. Aliás, a primeira grande ocasião do emblema anfitrião apenas surgiu aos 49 minutos que, através de Bruno Moreira, desperdiçou uma ocasião flagrante para reduzir no marcador.

Não foi à primeira tentativa, mas também não foi à segunda. Aos 73 minutos, Filipe Augusto arrancou um grande pontapé, que embateu com estrondo na barra da baliza azul e branca. A insistência do Rio Ave acabou por dar os seus frutos aos 84 minutos. Nuno Santos isolou-se e, perante Iker Casillas, teve a calma suficiente para facturar... com uma bela chapelada.

O Rio Ave manteve a pressão e, em cima dos 90 minutos, o recém-entrado Ronan fez a igualdade, num remate à meia-volta, que ainda sofreu um desvio, e  que fez a bola passar por cima de Casillas. Até final, destaque apenas para o segundo cartão amarelo, e consequente vermelho, exibido a Nikola Jambor.

Com este resultado, os dragões ascendem à liderança da classificação, com 76 pontos, mas uma vitória das águias, na casa do Sp. Braga, no próximo domingo, pode disparar o Benfica novamente para o trono da I Liga, mas desta feita com dois pontos de vantagem sobre o seu eterno rival. O Rio Ave segue no oitavo lugar, com 39 pontos.

Rio AveEstatísticaFC Porto
46Posse de bola54
9Remates9
3Cantos 4
12Faltas cometidas14
3/0Cartões amarelos/vermelhos1/0

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório