Meteorologia

  • 14 DEZEMBRO 2019
Tempo
14º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

Presidente da UEFA vê no ataque a Alcochete um "desastre" sem igual

Ceferin admite que as rescisões de contrato com o Sporting são um caso "complicado".

Presidente da UEFA vê no ataque a Alcochete um "desastre" sem igual

Aleksander Ceferin, presidente da UEFA, concede, esta sexta-feira, uma extensa entrevista ao jornal O Jogo, onde deu a sua opinião quanto à invasão à Academia de Alcochete, no passado mês de maio, que levou nove jogadores a rescindirem de forma unilateral com o Sporting alegando justa causa.

O líder do organismo que rege o futebol europeu remete as quebras de contrato para os tribunais, mas atira: “Não cabe apenas à Federação ou à Liga portuguesas, mas sobretudo ao governo português fazer alguma coisa. Foi um desastre como nenhum outro que me lembre de ter sucedido na Europa”.

“Vamos ver o que decidem os tribunais. Há dois pontos de vista: quando há um contrato, ele deve ser cumprido; por outro lado, quando se vê o que aconteceu com alguns jogadores, é um verdadeiro desastre. Pode ser força maior”, afirmou.

“Como advogado, estou só a adivinhar, não conheço bem o caso. Concordo que é complicado. Amanhã sou ameaçado por um adepto e vou embora. Este episódio foi sério, mas percebo o que diz. Pode ser problemático. No entanto, como advogado sei que não conhecendo todos os factos, é melhor não comentar”, acrescentou.

Na mesma entrevista Ceferin aponta o dedo a Gianni infantino, presidente da FIFA, pelas recentes propostas de remodelação do futebol mundial: “Apareceu com uma ideia que apresentou desta maneira: tenho um investidor, um fundo, que quer organizar um mundial de clubes e uma liga das nações global e é muito dinheiro. OK, que fundo é esse? Não posso dizer, porque assinei um acordo de confidencialidade”.

“Nesse caso, disse-lhe eu, nós não apoiamos. Nunca mais aconteceu nada. Até agora, não tive mais qualquer informação sobre o tema. Ligas europeias, clubes e a UEFA decidiram, entretanto, de forma unívoca, que se tentarem forçar-nos ou contornar-nos não participaremos em qualquer dessas competições. Porque, com todo o respeito, quando não temos uma competição séria na nossa confederação, aceitamos tudo, mas quando temos uma competição séria, quando temos um calendários tão cheio como o nosso, não podemos aceitar qualquer prova que nos proponham”, avisou.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório