Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2018
Tempo
25º
MIN 25º MÁX 25º

Edição

Livro de Richard Zimler e Júlio Pomar vence prémio para a infância

A obra "O cão que comia a chuva", de Richard Zimler, ilustrada por Júlio Pomar, venceu o Prémio Bissaya Barreto de Literatura para a Infância/2018, divulgou hoje a Fundação Bissaya Barreto.

Livro de Richard Zimler e Júlio Pomar vence prémio para a infância
Notícias ao Minuto

22:11 - 06/03/18 por Lusa

Cultura literatura

A obra distinguida é, segundo o júri, "um livro de artista em que convivem, magistralmente, duas narrativas -- o texto e as imagens".

"A depuração, fluidez e elegância são as marcas dominantes de um livro que nos cativa pelas leituras, atentas e sensíveis, do quotidiano de uma família, perspetivadas pelo olhar peculiar de um animal de estimação. A expectativa gerada pelo título poético vai sendo concretizada e ampliada, alimentando a empatia do leitor à medida que a ação progride, e permitindo a identificação e comprometimento com valores humanistas", refere o júri.

O júri foi presidido por Lúcia Santos, em representação da Fundação Bissaya Barreto, que promove o galardão, por Rui Marques Veloso, professor do ensino superior, que leciona Literatura Infantil em licenciaturas e pós-graduações, e tem trabalhos publicados em Portugal e no estrangeiro, e por Leonor Riscado, professora da área científica de Língua Portuguesa, na Escola Superior de Educação de Coimbra.

O prémio, no valor pecuniário cinco mil euros, é atribuído aos autores da obra, publicada pela Porto Editora.

Em comunicado, o júri congratula-se com "a elevada adesão de candidaturas, bem como com a crescente qualidade dos livros apresentados a concurso, o que considera valorizar significativamente esta iniciativa".

A esta sexta edição do prémio, concorreram 180 obras, com a participação de 60 editoras e de quatro edições de autor.

A cerimónia de entrega do Prémio Bissaya Barreto de Literatura para a Infância/2018 está prevista para o próximo dia 05 de abril, às 17:30, na Casa das Artes Bissaya Barreto, em Coimbra.

Em comunicado difundido pela fundação, Richard Zimler afirma-se "feliz" e "grato" ao júri pela distinção.

"Fico muito feliz e honrado por receber este prémio da Fundação Bissaya Barreto. Quero exprimir a minha profunda gratidão ao júri, à minha editora, Porto Editora, e ao ilustrador do livro, Júlio Pomar", afirma Zimler.

Richard Zimler, nasceu há 62 nos Estados Unidos, e naturalizou-se, entretanto, português, vivendo no Porto desde 1990, onde lecionou Jornalismo, na Escola Superior de Jornalismo e na Universidade do Porto.

Desde 1996, publicou onze romances, uma coletânea de contos e quatro livros para crianças, tendo vencido o National Endowment of the Arts Fellowship in Fiction Award, em 1994, e o Prémio Herodotus pelo livro "O Último Cabalista de Lisboa" (1998) e o Prémio Alberto Benveniste, pelo livro "Goa ou o Guardião da Aurora" (2013). A obra do escritor encontra-se traduzida em 23 línguas.

Júlio Pomar, de 92 anos, natural de Lisboa, tem-se dedicado especialmente à pintura, mas realizou também trabalhos de desenho, gravura, escultura e 'assemblage', ilustração, cerâmica e vidro, tapeçaria, cenografia para teatro e decoração mural em azulejo.

O artista plástico foi distinguido pela Fundação Calouste Gulbenkian na I Exposição de Artes Plásticas, em 1957, na área de Gravura, e na II Exposição de Artes Plásticas, em 1961, em Pintura. A Fundação FVG, de Hamburgo, na Alemanha, concedeu-lhe o Prémio Montaigne em 1993.

Entre outras distinções, Júlio Pomar, que também é poeta, gravado por nomes como Cristina Branco e Carlos do Carmo, recebeu os prémios AICA-SEC, de críticos de arte, com a Secretaria de Estado da Cultura, em 1995, Celpa/Vieira da Silva, em 2000, e o Prémio Amadeo de Souza-Cardoso, em 2003.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório