Meteorologia

  • 22 JUNHO 2018
Tempo
30º
MIN 30º MÁX 30º

Edição

André Alves e Salomé Lamas mostram arte multimédia no Museu do Chiado

Os artistas André Alves, Nikolai Nekh e Salomé Lamas vão apresentar novas obras de arte multimédia na programação deste ano do Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado (MNAC-MC), em Lisboa, anunciou hoje esta entidade.

André Alves e Salomé Lamas mostram arte multimédia no Museu do Chiado
Notícias ao Minuto

15:24 - 23/02/18 por Lusa

Cultura Novidade

De acordo com o Museu do Chiado, os artistas vão apresentar trabalhos no âmbito da Sala Sonae, alvo de uma programação especial nos últimos cinco anos, no contexto de uma parceria com aquele grupo económico, que já mostrou obras de 21 artistas e publicou dez livros da edição Artist Booklet.

A programação deste ano enviada à agência Lusa indica que começa com André Alves e "Double Exposure" (2017), com inauguração a 29 de março, patente até 03 de junho, e curadoria de Sandra Vieira Jürgens.

Trata-se de um "vídeo-poema" original concebido para "You gotta say yes to another access", comissariada por Jan Kaila e Henk Slager, para o Research Pavilion da 57.ª Bienal de Veneza (2017).

O vídeo-poema parte da alegoria "O caminhante e a sua sombra" de Nietzsche, que narra um diálogo entre uma caminhante e a sombra, de modo a "refletir sobre a ambiguidade e hierarquia implícitas nas relações de diálogo e contacto", segundo um texto do museu.

"Double Exposure" contou com as colaborações da artista Cristina Regadas, no papel de caminhante, e da realizadora Patrícia Viana de Almeida, com narração da 'performer' Benedikte Esperi e sonoplastia original produzida pelo coletivo sonoro Haarvöl.

Nascido em 1981, André Alves, que vive em Gotemburgo, é licenciado em Belas Artes pela Universidade do Porto, e doutorando na Finnish Academy of Fine Arts.

A sua prática desenvolve-se "a partir de estratégias de narração, práticas coreográficas de leitura e comunidades de escuta enquanto estratégia afetiva artística para investigar a dimensão política da capacidade de contacto", segundo a programação.

Nikolai Nekh apresenta "Calcanhar de Aquiles" (2018) a partir de 21 de junho, até 09 de setembro, também com curadoria de Sandra Vieira Jürgens.

"Calcanhar de Aquiles" é um projeto que se coloca no meio da passagem do natural ao artificial, observando de perto as fronteiras geográficas, económicas e políticas implícitas nessa mudança.

Natural de Slavhansk-na-Kubani, na Rússia, Nikolai Nekh, nascido em 1985, vive e trabalha em Lisboa, e a sua prática artística consiste na produção e distribuição de imagens que surgem das trajetórias do capitalismo e das suas formas de representação.

Aos treze anos, Nikolai Nekh mudou-se para Portugal onde se licenciou em Arte e Multimédia, na Faculdade de Belas Artes de Lisboa, em 2009, e no ano seguinte fez parte do Programa de Estudos Independentes na escola de artes Maumaus.

Desde então, tem desenvolvido trabalhos que circulam por festivais de cinema e, mais recentemente, por espaços expositivos.

A artista visual Salomé Lamas vai apresentar o seu mais recente filme, "Extinção" (2018), a partir de 20 de setembro, ficando em exibição até 25 de novembro, com curadoria de Emília Tavares.

"Extinção" aborda a problemática das fronteiras na atual Rússia, e o latente conflito que algumas destas regiões mantêm, sob o peso da história da antiga União Soviética.

O filme decorre na região da Transnístria, uma das mais pobres da Europa, e mostra um mosaico de elementos ficcionais e reais, revelando a "guerra surda" que o regime autocrático de Vladimir Putin tem implementado na região, sob a estratégia da "guerra sem guerra" e da "ocupação sem ocupação".

Um documento sobre a construção da identidade coletiva e o confronto com a crescente vaga de "nacionalismos" internacionais, na descrição do museu.

Natural de Lisboa, Salomé Lamas nasceu em 1987 e estudou cinema na Escola Superior de Teatro e Cinema, em Praga, em Amesterdão, e é doutoranda em Arte Contemporânea na Universidade de Coimbra.

O seu trabalho já foi mostrado tanto em espaços dedicados à arte quanto em festivais de cinema, tais como Berlinale -- Festival Internacional de Cinema de Berlim, Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, em Madrid, Museo Guggenheim Bilbao, MoMA -- Museum of Modern Art, em Nova Iorque, e a Tate Modern, em Londres, entre outros.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.