Meteorologia

  • 24 FEVEREIRO 2018
Tempo
MIN 4º MÁX 6º

Edição

Concerto da Capella Patriarchal estreia peças do Livro de S. Vicente

O programa do Concerto de Ano Novo, hoje à noite, na igreja de S. Vicente de Fora, em Lisboa, tem por base obras reunidas no Livro de S. Vicente', de polifonia portuguesa, de finais do século XVI.

Concerto da Capella Patriarchal estreia peças do Livro de S. Vicente
Notícias ao Minuto

08:30 - 22/01/18 por Lusa

Cultura Lisboa

Algumas das peças que vão ser interpretadas pelo ensemble Capella Patriarchal, sob a direção João Vaz, em órgão, serão apresentadas em estreia moderna.

Do programa, entre outras, serão interpretadas as composições 'Sexti toni, fantasia a quatro', 'Quartus tonus, fantasia a quatro', 'Fantasia em Lá-Ré' e 'Asperges me', de frei António Carreira, e 'Pueri Hebraeorum vestimenta', de Filipe Magalhães.

"O programa reflete a prática musical no final do século XV no âmbito da liturgia do Domingo de Ramos, e inclui a primeira execução moderna de algumas obras, como o Asperges me atribuído a frei António Carreira", disse João Vaz.

"O concerto inicia-se com três obras para órgão de António Carreira, pai de frei António Carreira, que serão tocadas por mim no magnífico órgão construído por João Fontanes de Maqueira, em 1765", acrescentou.

O 'Livro de S. Vicente' faz parte, atualmente, do acervo do Arquivo da Sé Patriarcal de Lisboa, tendo anteriormente ficado à guarda da igreja de S. Vicente de Fora. A obra é um manuscrito em pergaminho que foi concebido como um Ofício da Semana Santa para uso do Convento da Graça, em Lisboa.

"Apesar de ter sofrido uma mutilação, perdendo mais de quarenta fólios, constitui presentemente um dos mais valiosos repositórios da polifonia portuguesa 'tardoquinhentista', nomeadamente da obra de frei António Carreira (1550/55-1599), eremita de Santo Agostinho, que faleceu em Lisboa, no Convento da Graça", explicou à Lusa João Vaz.

O 'Livro de São Vicente' foi alvo "de um estudo profundo e de uma transcrição integral por João Pedro d'Alvarenga, e várias obras nele contidas foram apresentadas em primeira audição moderna pela Capella Patriarchal, no âmbito dos concertos de Ano Novo do Patriarcado de Lisboa".

A Capella Patriarchal, criada em 2006, é dirigida por João Vaz, sendo o seu repertório baseado em particular na sua investigação da 'música de órgão portuguesa dos séculos XVI a XIX'.

O grupo é constituído pelas sopranos Mónica Santos e Mariana Moldão, a contralto Carolina Figueiredo, o tenor João Rodrigues, e o baixo Manuel Rebelo, sob a direção de João Vaz.

Em 2014, a Capella Patriarchal editou em CD a primeira gravação integral dos Responsórios de Quinta-Feira Santa de Frei Fernando de Almeida.

João Vaz é professor da Escola Superior de Música de Lisboa e organista titular do órgão de S. Vicente de Fora. Responsável pela programação de concertos de órgão na Basílica do Palácio-Convento de Mafra e na Igreja de São Vicente de Fora, é também consultor para o restauro do órgão do Mosteiro do Lorvão.

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.