Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2017
Tempo
16º
MIN 16º MÁX 16º

Edição

O mundo virtual contra a realidade em cena no Teatro do Campo Alegre

O Teatro do Campo Alegre, no Porto, vai receber, no sábado, a estreia da ópera cómica "As Sete Mulheres de Jeremias Epicentro", um espetáculo sobre "o mundo virtual 'versus' a realidade", disse hoje o encenador, António Durães.

O mundo virtual contra a realidade em cena no Teatro do Campo Alegre
Notícias ao Minuto

23:02 - 12/09/17 por Lusa

Cultura Porto

A peça surgiu de uma encomenda do Quarteto Contratempus ao escritor Mário João Alves, que tinha como premissa "as questões tecnológicas", explicou o encenador após um ensaio para os jornalistas.

"O Mário João pensou numa estrutura que, de alguma maneira, nos pusesse a questão destes dois mundos, destas duas realidades, que vivem paralelas: o mundo virtual, que não existe, existindo 'versus' a realidade tal qual a conhecemos", disse Durães.

Esta dualidade entre os dois mundos desenvolve-se a partir de Jeremias, personagem interpretada pelo ator Crispim Luz, um "sedutor" que não é mais que o "revisitar do mito do D. Giovanni".

"Aqui, o nosso D. Giovanni seduz no mundo virtual a partir do momento que deixa o mundo real, para se ligar aos jogos", acabado por seduzir "personagens um tanto ao quanto estranhas, como a Maria Antonieta decapitada", ilustrou.

Embora tenha sido casado, Jeremias conduz a história através de uma série de mulheres que vai seduzindo e, posteriormente, abandonando.

Como consequência do abandono surge outra personagem, uma psicóloga, interpretada pela atriz Brenda Vidal Hermida, que articula a peça resolvendo "os traumas das mulheres abandonadas".

"A própria mãe do Jeremias, com o seu amor incondicional, tem acompanhado o filho, resolvendo-lhe todos os problemas da vida real, como a alimentação. Portanto, a soma das personagens femininas são as sete mulheres de Jeremias. As seduzidas e as mulheres da vida dele -- mãe e esposa", explicou.

As tecnologias que deram mote ao libreto são também utilizadas em palco, uma vez que, numa parceria com a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, o espetáculo inclui uma luva que, em cena, tem a capacidade de manipular em tempo real som, imagem, e luz.

A luva resulta "de uma soma de sensores" de movimento e posição, que "deteta e guarda frases musicais", voltando a repeti-las em "momentos imprevistos", disse o encenador.

"As Sete Mulheres de Jeremias Epicentro" foi coproduzida com o Teatro Municipal do Porto e conta com texto original de Mário João Alves, composição de Jorge Prendas e encenação de António Durães.

A obra contou ainda com o apoio da Direção-Geral das Artes, a Fundação GDA e a Fundação Calouste Gulbenkian.

A estreia está marcada para sábado, 16 de setembro, às 19:00, repetindo-se o espetáculo no domingo, pelas 17h00. O encenador prevê ainda que o "espetáculo fará uma turné pelo país, mas o circuito "ainda não está determinado".

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório