Meteorologia

  • 27 JUNHO 2017
Tempo
21º
MIN 21º MÁX 21º

Edição

Viana do Alentejo forma novos oleiros para manter "viva" a tradição

Os oleiros estão quase "extintos" em Viana do Alentejo, mas, graças a uma formação a decorrer na vila, 14 pessoas estão a aprender a moldar o barro, na tentativa de injetar "sangue novo" para salvar o ofício.

Viana do Alentejo forma novos oleiros para manter "viva" a tradição
Notícias ao Minuto

20:24 - 17/06/17 por Lusa

Cultura Cerâmica

"Vamos fazer uma formação de 14 meses. Estamos no segundo mês e acho que há aqui pessoas que vão lá de certeza absoluta. Vai ficar assegurada a continuidade da olaria em Viana do Alentejo", afirma, com ar confiante, Feliciano Mira Agostinho, um dos últimos oleiros da vila e formador do curso que está a ser realizado.

Na antiga Cantina Escolar de Viana do Alentejo, no distrito de Évora, onde decorrem as aulas, os formandos distribuem-se pelas várias rodas de oleiro e bancadas de trabalho, atarefados com as diferentes fases de produção das suas peças de barro.

Vasos de diferentes tamanhos, taças e outros recipientes com diversos padrões e decorações ocupam uma mesa ali próxima, já finalizados, como "montra" das habilidades e da imaginação dos alunos.

Maria e Marisa Ginete, mãe e filha, estão entre os aprendizes e já têm uma certeza e um sonho.

"Eu já gostava bastante de artes, de trabalhos manuais e tudo mais e estou a gostar de criar as peças e depois decorá-las", diz Marisa, secundada pela mãe: "Gosto de iniciar a peça e terminá-la. A minha filha ajeita-se mais na pintura, mas eu tento também fazer".

Gostariam de montar um negócio de olaria e Maria assume que, apesar de "difícil", vão "tentar" concretizar a ideia. Mas não são as únicas a pensar seguir o ofício.

"Espero ser uma oleira do princípio ao fim" e "quem sabe se, no futuro, irei ter alguma oportunidade nesta área... Porque gosto muito", deixa em aberto Inácia Pão-Mole, outra das alunas.

Destinado a adultos, o Curso de Oleiro tem uma duração de 14 meses, numa parceria entre o Centro de Formação Profissional de Évora do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e a câmara municipal.

Os participantes, que recebem um conjunto de apoios, têm que ter pelo menos o 6.º ano de escolaridade e, com a formação, vão "ganhar" também equivalência ao 9.º ano, o que, "para a maioria", foi fator de peso na inscrição, conta Feliciano Agostinho.

"Saem com algo muito importante, que é ficarem com o 9.º ano, porque, hoje em dia, é quase impossível estamos no mercado de trabalho sem o 9.º ano", e ficam "preparados para abrir o seu próprio posto de trabalho", realça.

Para o presidente do município, Bernardino Bengalinha Pinto, o objetivo da autarquia, "além da qualificação das próprias pessoas, é manter a olaria de Viana do Alentejo viva".

"E temos esperança de que saiam, pelo menos, dois oleiros para dar continuidade a esta tradição", acrescentou o autarca, lembrando que o município é sócio fundador da Associação Portuguesa de Cidades e Vilas de Cerâmica, que está em fase de constituição.

Com 33 anos de experiência na olaria e apostado em transmitir o que sabe, para dar continuidade à arte na terra, Feliciano Agostinho quer criar "oleiros de 'a' a 'z', mas na era moderna", ou seja, "autónomos desde o centrar do barro na roda até ao finalizar e vender da peça".

Caso ainda precisem de mais prática, no final, não se "avizinham" problemas, afiança. O curso contempla a integração dos alunos nas olarias já existentes: "Há sempre uma olaria onde possam desenvolver" a aprendizagem.

Na sala, com os formandos entretidos com a moldagem do barro e a execução dos pormenores das peças, reinam o entusiasmo e a boa disposição. Uma das mais animadas é Margarida Bagão, que, apesar de já ter o 9.º ano, "abraçou" a oportunidade de frequentar o curso e as aulas práticas de olaria, área em que já tinha experiência.

"Estou desempregada e estava em casa, aborrecida, apareceu este curso e fiquei interessada. Há sempre coisas novas para aprender", relata, acrescentando, meio a brincar, meio a sério, ter jeito para oleira: "Ajeito-me, sou uma artista".

Campo obrigatório