Meteorologia

  • 22 SETEMBRO 2017
Tempo
20º
MIN 18º MÁX 21º

Edição

Autores portugueses partilham projetos em Lisboa durante três dias

A partir de hoje e até sábado, a Sociedade de Instrução Guilherme Cossoul, em Lisboa, recebe editores e autores independentes para iniciativas artísticas variadas, como o Coletivo Prisma, que fará leituras em torno da obra de Raul Brandão.

Autores portugueses partilham projetos em Lisboa durante três dias
Notícias ao Minuto

16:35 - 18/05/17 por Lusa

Cultura Literatura

Trata-se da 3.ª edição do Reverso, uma iniciativa de entrada livre, que pretende promover o encontro e a partilha de projetos e ideias independentes, que incluem apresentações, mesas redondas, debates, lançamentos de livros, concertos, leituras, performances, exposições, feira do livro e projeções de curtas-metragens e documentários.

A informação, disponível na página da Guilherme Cossoul, destaca que "o fantasma de Raul Brandão" vai andar "a pairar no Reverso", numa atividade designada justamente "apresentação do fantasma" e que consiste em apresentações, leituras e performances desenvolvidas a partir de "A Morte do Palhaço e o Mistério da Árvore", "Húmus" e "O Pobre de Pedir".

A seleção de textos e as apresentações estão a cargo de Cláudio Henriques, Rosa Azevedo e Sara Felício, do Coletivo Prisma, e esta programação decorre na sexta-feira a partir das 21:30.

Segue-se poesia colombiana, com apresentação de Lauren Mendinueta e leituras por Lauren Mendinueta e Teresa Coutinho, com acompanhamento musical (saxofone) de Edouard Rambourg, bem como leituras do livro "Canícula", de Daniel Jonas (edição Língua Morta), pelo autor e convidados.

No entanto, a programação de sexta-feira começa um pouco antes, a partir das 18:00, com a apresentação de diversos projetos, entre os quais um dedicado aos 25 anos do Teatro Meridional, da autoria do ator e encenador Miguel Seabra e a atriz Natália Luiza.

Segue-se uma mesa redonda sobre tradução e escrita, moderada por António Mega Ferreira, com a participação dos poetas Daniel Jonas e Golgona Anghel, do dramaturgo José Maria Vieira Mendes e da escritora Paola d'Agostino.

Para hoje, primeiro dia deste encontro de artistas independentes, estão previstas as exposições "Tem cuidado quando entrares no meu corpo: só tenho um coração", do ilustrador nazareno Alexandre Esgaio, "Impressões e Cartazes", do ateliê de tipografia Homem do Saco, "O dom e a ruína", uma parceria do poeta Vasco Gato e do fotógrafo Vitorino Coragem, e "Do Avesso" do estúdio de impressões Miss Print.

A partir das 17:30 está aberta a secção de apostas para projeções de vídeo de jovens realizadores, a que se seguem apresentações de projetos sobre a Casa Fernando Pessoa, o Festival do Silêncio, a Livraria Cossoul, a Miss Print e a Fábrica do Braço de Prata.

À noite, pelas 20:30, passa o documentário "Saudade Burra", da autoria do escritor e dramaturgo Nuno Costa Santos, a propósito dos 80 anos do nascimento de Fernando Assis Pacheco.

Na mesma altura será apresentado -- com leitura de textos - o livro "Ficção -- Obras Completas, Volume I", de Mário Henrique Leiria (da editora E-Primatur), por Tania Martuscelli, especialista na obra deste escritor surrealista e quem propôs à editora a publicação da sua obra integral.

O sábado vai ser preenchido sobretudo com a projeção de filmes -- vídeos-ensaios e o vídeo documentário, Arquipélago, episódio 6, "Redundância, errância, perfeição", sobre o poeta brasileiro Eucanaã Ferraz -, apresentação de projetos e leituras, quase todos eles em tono da poesia.

Os três dias encerram com sessões musicais.

A Cossoul foi fundada em 1885 por 47 amadores de música e admiradores de Guilherme Cossoul, compositor e violoncelista português do século XIX, tendo atualmente um programa de atividades nas várias áreas artísticas, privilegiando sempre os autores portugueses e os jovens artistas.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório