Meteorologia

  • 20 JULHO 2017
Tempo
22º
MIN 20º MÁX 23º

Edição

Obra de Shusaku Endo entre as novidades das Publicações D. Quixote

A reedição do romance 'Silêncio', de Shusaku Endo, é um dos títulos do plano editorial deste mês das Publicações D. Quixote, anunciado hoje pela editora, dias antes da estreia do filme homónimo de Martin Scorsese.

Obra de Shusaku Endo entre as novidades das Publicações D. Quixote
Notícias ao Minuto

16:20 - 11/01/17 por Lusa

Cultura Romance

'Silêncio', que narra a história de um missionário português envolvido na aventura espiritual da conversão dos povos orientais, no século XVII, foi publicado originalmente em Portugal em 1990, pela D. Quixote, com tradução de João David Antunes, e serviu de ponto de partida para o filme de Martin Scorsese, que tem antestreia na quinta-feira, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, uma semana antes da chegada às salas de cinema.

A estreia do filme motiva um programa de atividades "que trará, para a opinião pública, o debate e a reflexão sobre o papel dos jesuítas em Portugal e no mundo, a perseguição religiosa, as relações entre Portugal e o Japão, a arte e a religião", anunciou também hoje a província portuguesa da Companhia de Jesus.

Entre estas iniciativas, conta-se a conferência 'Portugal e o Japão: história de um sucesso malsucedido', na quarta-feira, no Museu do Oriente, em Lisboa, em que usarão da palavra o provincial dos Jesuítas, o padre José Frazão, o historiador João Paulo Costa e a jornalista Clara Ferreira Alves, sendo moderador o jornalista Joaquim Franco.

Neste museu estão também previstas visitas guiadas à exposição sobre a presença portuguesa na Ásia.

O português Cristóvão Ferreira é o protagonista desta história, um missionário jesuíta que acabou por apostatar, isto é, renegou a fé católica, após ter sido sujeito a "abomináveis pressões das autoridades japonesas, para evitar que um grupo de fiéis fosse torturado até à morte", disse à Lusa fonte editorial. Antes de chegar ao Japão, Cristóvão Ferreira passara por Goa, na Índia, e Macau.

O romance 'Ema', que valeu a Maria Teresa Horta, em 1984, o Prémio Ficção da Revista Mulheres, é reeditado no dia 31.

Sobre esta obra, adianta a editora: 'A mulher vagueia no universo repressivo da casa. Poderia ser a mesma onde a avó fora morta pelo avô, ou de onde a mãe saíra, louca, para o hospital psiquiátrico. Ema é o nome de todas elas'.

"Como o da antepassada tomada pelo terror, após ter parido uma menina, sem dar ao homem com quem casara um filho varão. É esse espaço de violência que vai alimentando o ódio na paixão que a última das Emas tem pelo marido", acrescenta a mesma fonte.

No dia 24, as Publicações D. Quixote publicam duas obras: 'Crónica de uma Travessia", do autor timorense Luís Cardoso, e "Em Viagem pela Europa de Leste', do colombiano Gabriel García Márrquez (1927-2004).

Sobre 'Crónica de uma Travessia', a editora afirma tratar-se de um "livro de viagem, autobiografia e romance" sobre "o encanto exótico de um lugar remoto e desconhecido, um pedaço da Ásia que teimosamente quer preservar as características essenciais da cultura europeia, com a qual esteve em contacto, apesar da enorme distância e do massacre levado a cabo, durante décadas, pela invasão indonésia de 1975".

Quanto à obra de García Márquez, trata-se da crónica da viagem que o escritor colombiano efetuou pelos países socialistas, nos anos de 1950.

"A par das observações dos companheiros de viagem", a obra revela "uma análise perspicaz e não isenta de ironia dos acontecimentos sociais e políticos de uma época".

"A sua viagem pelo enclave comunista inicia-se na Alemanha Oriental e prossegue pela [ex-]Checoslováquia, Polónia, Hungria e a antiga União Soviética", onde "tenta desvendar a verdadeira face do comunismo idealizado por Lenine, um regime kafkiano que quase não é questionado por um povo assustado, que parece resignar-se ao seu destino".

Esta obra do Nobel da Literatura de 1982, foi originalmente publicada em fascículos na mesma época do 'Relato de um Náufrago' (1955), reportagem sobre um marinheiro que se salvou de um naufrágio, no mar das Caraíbas, em 1955.

A editora portuguesa realça a "indiscutível mestria literária" de 'Em Viagem pela Europa de Leste', que atesta a "vocação mais profunda de García Márquez, que era o prazer de contar uma boa história".

Campo obrigatório