Faustin Linyekula apresenta cinco espetáculos até dezembro

O bailarino e coreógrafo congolês Faustin Linyekula, Artista na Cidade 2016, vai apresentar até dezembro cinco espetáculos em três espaços culturais da capital, uma conferência e um documentário sobre a relação do criador com Lisboa.

© iStock
Cultura Lisboa

De acordo com a programação desta terceira edição Artista na Cidade 2016, bienal que apresenta propostas artísticas de um artista estrangeiro, os espetáculos vão decorrer a partir 28 e 29 de outubro no São Luiz Teatro Municipal, na Fundação Calouste Gulbenkian e no Centro Cultural de Belém.

PUB

Desde janeiro, Faustin Linyekula apresentou nove espetáculos na zona da grande Lisboa, em teatros e centros culturais, espaços exteriores e bairros de fronteira entre a cidade e a periferia, como a Cova da Moura, a Amoreira e Chelas.

Nos dias 28 e 29 de outubro, chega ao Jardim de Inverno do São Luiz Teatro Municipal o espetáculo de dança 'O Festival das Mentiras' (Le Festival des Mensonges), no qual Faustin Linyekula convida o público a ouvir pequenas histórias do quotidiano e também o contexto mais geral da História da República Democrática do Congo, que já se chamou Zaire, Congo belga, e Estado Independente do Congo.

Também no Teatro São Luiz, na Sala Luís Miguel Cintra, será apresentada, a 02 e 03 de novembro, 'Sem-Título' (Sans-Titre) de Raimund Hoghe, coreógrafo que convida Faustin Linyekula a interpretar uma dança-manifesto sobre as pessoas indocumentadas, sem títulos de permanência, em trânsito entre dois países, situação já vivida pelo próprio criador congolês.

A programação segue depois para a Fundação Calouste Gulbenkian onde será apresentado, nos dias 10 e 11 de novembro, no grande auditório, o espetáculo 'More more more future', uma metáfora para o conjunto do trabalho político e artístico desenvolvido pelo artista.

Trata-se de uma criação que é um alerta sobre a miséria no seu país, e um apelo a um futuro melhor, ao som de Ndombolo, um género de música e dança de Kinshasa, capital da República Democrática do Congo.

A 18 e 19 de novembro é a vez do Centro Cultural de Belém apresentar dois espetáculos numa só sessão: 'Tryptique sans Titre' e 'Statue of Loss', o primeiro, que explora a submersão de Faustin Linyekula nas culturas e subculturas do seu país natal em ruínas, e 'Statue of Loss', uma homenagem à memória dos soldados africanos que combateram nas duas Guerras Mundiais.

No festival Temps d'Images Lisboa, no dia 20 de novembro, no Palácio Príncipe Real, tem lugar a conferência African Bodies European Looks, com Isabelle Danto e Faustin Linyekula, e a antevisão do documentário 'Faustin e Lisboa', realizado por Miguel Munhá.

Faustin Linyekula nasceu em 1974 no antigo Zaire, hoje República Democrática do Congo, e o seu percurso integra uma dezena de criações que foram apresentadas mundialmente, incluindo colaborações com a Comédie-Française, o coreógrafo Raimund Hoghe e o Ballet de Lorraine.

Em 2001 fundou os Studios Kabako em Kinshasa, transferindo-os em 2006 para Kisangani, a cidade congolesa onde cresceu, e onde se realizam oficinas, funciona um estúdio de gravação, são recebidos artistas em residência, organizam espetáculos e concertos nos bairros populares de Kisangani, e produzem as obras de Faustin e de ouros artistas congoleses.

 

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS