Meteorologia

  • 17 AGOSTO 2018
Tempo
25º
MIN 24º MÁX 26º

Edição

Cinema de João Botelho com Manoel de Oliveira em 'pano de fundo'

Em vez de fazer o luto pela morte de Manoel de Oliveira, o realizador João Botelho decidiu fazer um filme, que mostrasse a admiração pelo cineasta, 'O cinema, Manoel de Oliveira e eu', que se estreia hoje, no IndieLisboa.

Cinema de João Botelho com Manoel de Oliveira em 'pano de fundo'
Notícias ao Minuto

07:30 - 24/04/16 por Lusa

Cultura Filme

"Não quis fazer o luto. Isto [fazer o filme] é mostrar a paixão, é lutar contra o esquecimento", afirmou João Botelho à agência Lusa.

'O cinema, Manoel de Oliveira e eu', que faz parte da programação do festival IndieLisboa, fora de competição, é um documentário que tem lá dentro uma ficção.

João Botelho é o narrador deste filme, no qual recorda como conheceu Manoel de Oliveira, quando ainda andava na escola de Cinema, e revela excertos de alguns dos filmes que mais estima, como 'Amor de perdição', 'Vale Abraão' e 'Palavra e Utopia'.

"É um bom filme para o Plano Nacional de Cinema. É um documentário com as coisas de que mais gosto no cinema de Oliveira, sobre o que mais me impressionou", contou.

Além de excertos comentados de obras de Oliveira, o filme conta ainda com uma cena de 'Conversa acabada' (1981), a primeira longa de João Botelho, na qual Manoel de Oliveira interpreta o papel de um padre. "Como um pai, ensinava-me cinema", comenta João Botelho, na narração do filme.

Dentro de 'O cinema, Manoel de Oliveira e eu', João Botelho incluiu um curto filme que rodou no final do ano passado, no Porto, chamado "A rapariga das luvas", a partir de um argumento de Manoel de Oliveira, intitulado "Prostituição ou a mulher que passa".

"Estava sempre a pensar em cinema e um dia contou-me uma história fantástica, passada no Porto, que nunca chegou a filmar. Fiz este filme com o que aprendi dele e com o que sou", afirmou João Botelho à agência Lusa.

Depois desta exibição na Culturgest, no IndieLisboa - domingo, às 18:00, e no dia 28, às 14:30 - "O cinema, Manoel de Oliveira e eu" só deverá chegar às salas de cinema depois do verão, mas João Botelho espera poder fazer sessões a pensar em públicos escolares.

Manoel de Oliveira morreu a 2 de abril de 2015 aos 106 anos.

O festival de cinema independente IndieLisboa começou no dia 20, quarta-feira, e termina a 1 de maio.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.