Meteorologia

  • 22 JULHO 2024
Tempo
23º
MIN 18º MÁX 38º

"A nossa visão é ter histórias inclusivas que abram novas possibilidades"

De um laboratório de escrita e ilustração, promovido pela plataforma Queer Art Lab, nasceu um livro para os mais novos, "com histórias inclusivas, que abrem novas possibilidades", disse à Lusa o artista multidisciplinar Ary Zara.

"A nossa visão é ter histórias inclusivas que abram novas possibilidades"
Notícias ao Minuto

06:51 - 19/06/24 por Lusa

Cultura Literatura

O livro, que será apresentado na sexta-feira em Lisboa, intitula-se 'A Srª Hi Ena, Alex, Yusef e um rastro de purpurinas' e reúne quatro histórias ilustradas que nasceram de vários meses de um processo criativo com mentoria da escritora Isabel Zambujal e da ilustradora Yara Kono.

O Queer Art Lab já tinha feito outros laboratórios artísticos, apresentados como espaços de capacitação para artistas LGBTQIA+, mas esta foi a primeira vez que o projeto se direcionou para a literatura infanto-juvenil.

Ary Zara, responsável pelo Queer Art Lab, explicou que esta iniciativa surgiu como resposta a uma necessidade, por falta de conteúdos literários para os mais novos.

No projeto 'Castelos Arco-Íris', do Queer Art Lab, de sessões de leitura em bibliotecas, para crianças e jovens, percebeu-se que os livros escolhidos eram sempre os mesmos, porque a oferta ainda é escassa, explicou Ary Zara.

"A nossa visão é ter histórias inclusivas, que abram novas possibilidades, que não tenham propriamente um tom doutrinário, que não sejam negativas, que não forcem pontos de vista ou sejam demarcadamente didáticas", referiu.

Com a colaboração da editora Planeta Tangerina e da investigadora e pedagoga Dora Batalim SottoMayor, o laboratório resultou numa coletânea de quatro histórias, assinadas por Danilo Gouveia, David J. Amado, Joana Branco e Laura Falésia, e ilustradas por Ana Casimiro, Bruno de Almeida, Fatumata e Nicole Ostrovan.

O livro 'A Srª Hi Ena, Alex, Yusef e um rastro de purpurinas' é uma edição da discoteca Trumps, parceira do Queer Art Lab, e será apresentado na sexta-feira por Dora Batalim SottoMayor na Casa do Comum, em Lisboa.

Ativista pelos direitos das pessoas trans, realizador, argumentista, gestor do projeto Queer Art Lab e performer, Ary Zara venceu este mês, juntamente com Gaya de Medeiros, a Bolsa Amélia Rey Colaço, para uma residência artística com o projeto "Corre, bebé!", que cruza performance e cinema.

Este ano, Ary Zara chegou à 'shortlist' dos filmes candidatos aos Óscares, com a premiada curta-metragem 'Um caroço de abacate'.

Atualmente, Ary Zara prepara uma nova curta-metragem, intitulada 'Tokos', produzida pela Wonder Maria Filmes e que deverá contar com coprodução da PageBoy Productions, de Elliot Page - que se associou a 'Um caroço de abacate' -, e desenvolve a longa-metragem 'Sol em Saturno'.

Leia Também: Feira do Livro terá superado um milhão de visitantes e aumentado vendas

Recomendados para si

;
Campo obrigatório