Meteorologia

  • 21 JULHO 2024
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 25º

Orquestra Metropolitana de Lisboa celebra 32 anos de "irreverência"

O maestro titular da Orquestra Metropolitana de Lisboa (OML), entidade que celebra 32 anos de existência, disse à Lusa que o projeto "continua bem vivo e sempre com uma grande irreverência artística de crescimento".

Orquestra Metropolitana de Lisboa celebra 32 anos de "irreverência"
Notícias ao Minuto

21:31 - 14/06/24 por Lusa

Cultura OML

Em declarações à agência Lusa, o maestro titular e diretor artístico, Pedro Neves, afirmou: "Após os seus 32 anos de existência, o ideal que nos move é único, cruzando a pedagogia com a vivência de uma orquestra profissional".

A OML festeja o seu 32.º aniversário na segunda-feira, às 21:00, no Teatro Tivoli, em Lisboa, com um concerto, sob a batuta de Pedro Neves, com obras de Berlioz e Ravel.

De Hector Berlioz (1803-1869) será interpretada a Sinfonia Fantástica e, de Maurice Ravel (1875-1937), 'Bolero'.

Sobre o projeto da Metropolitana, o maestro e diretor artístico acrescentou: "Aprendemos uns com os outros através de todas as nossas experiências cruzadas, receita esta que tem dado tantos frutos ao longo deste já longo caminho"

"A sua originalidade é a sua coluna vertebral ímpar, fazendo-nos acreditar num futuro auspicioso, com cada vez mais sentido na sociedade cultural que queremos construir para as próximas gerações", rematou Pedro Neves.

A Metropolitana foi constituída em março de 1992, numa iniciativa do maestro Miguel Graça Moura, visando "divulgar e ensinar a música clássica", como se lê no seu 'site'.

A Metropolitana, tutelada pela Associação Música, Educação e Cultura (AMEC), inclui a OML e a Orquestra Académica Metropolitana, e ainda a Academia Nacional Superior de Orquestra, o Conservatório de Música da Metropolitana e a Escola Profissional Metropolitana.

A OML já gravou vários álbuns, como 'Lamentos', de António Pinho Vargas, sob a direção de Pedro Neves, com a participação das solistas Ana Pereira (violino) e Joana Cipriano (viola d'arco), que foi distinguido, este ano, como Melhor Álbum de Música Clássica/Erudita nos Prémios da Música Portuguesa PLAY.

Leia Também: Ana Lua Caiano cria música na Covilhã com Adufeiras do Paul

Recomendados para si

;
Campo obrigatório