Meteorologia

  • 02 FEVEREIRO 2023
Tempo
MIN 5º MÁX 13º

Morreu Luís Ferreira Alves "grande fotógrafo de arquitetura"

O presidente da Ordem dos Arquitetos (OA), Gonçalo Byrne, lamentou hoje a morte de Luís Ferreira Alves, no Porto, aos 84 anos, vítima de doença prolongada, considerando-o "o grande fotógrafo da arquitetura da sua geração".

Morreu Luís Ferreira Alves "grande fotógrafo de arquitetura"
Notícias ao Minuto

17:17 - 11/07/22 por Lusa

Cultura Morte

Quer a Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP), quer a autarquia local, dedicam hoje publicações nas suas páginas oficiais a Luís Ferreira Alves, que se dedicou à fotografia de arquitetura e património, trabalhando com alguns dos mais importantes arquitetos portugueses.

Na página oficial da OA, o arquiteto Gonçalo Byrne recorda o amigo e exprime tristeza e admiração pelo legado do fotógrafo: "É uma perda importantíssima, de um amigo também, de longa data, um grande fotógrafo de arquitetura, para não dizer o grande fotógrafo da arquitetura da sua geração".

Ferreira Alves "está muito ligado, a partir dos anos 70, à divulgação da arquitetura, em Portugal, mas também no estrangeiro, sobretudo no acompanhamento dos arquitetos da escola do Porto", acrescenta.

Luís Ferreira Alves acompanhou grandes nomes da arquitetura como Álvaro Siza, Alexandre Alves Costa, Fernando Távora, Pedro Ramalho e Eduardo Souto Moura, entre outros, recorda o presidente da OA sobre aquela "figura incontornável no domínio da fotografia de arquitetura, área em que foi pioneiro".

O autor, que morreu na madrugada de hoje, era Membro Honorário da Ordem dos Arquitectos desde 2013, "antes de ser um dos maiores fotógrafos da arquitetura moderna e contemporânea, esteve também muito ligado às artes, sobretudo as artes performativas, com muita ligação também ao teatro e ao cinema", segundo Byrne.

Para o Presidente da OA, Luís Ferreira Alves "foi uma pessoa fora de série, um homem de enorme cultura e sensibilidade, um homem muito curioso, com um pensamento muito abrangente, um filósofo com projeto de vida e uma visão do mundo muito atenta e transformadora", lê-se ainda no depoimento.

O funeral realiza-se na terça-feira, às 17:00, no Tanatório de Matosinhos, no distrito do Porto.

Luís Ferreira Alves nasceu em Valadares, concelho de Vila Nova de Gaia, em 1938.

Além da atividade como fotógrafo, realizou de vídeos de arquitetura e culturais, tendo dezenas de livros editados e exposições realizadas, algumas delas em co­autoria, dentro e fora do país.

A FAUP descreve que Luís Ferreira Alves foi seccionista ativo do Cineclube do Porto, durante a década de 1950, cofundador da Secção de Formato Reduzido e Cinema Experimental, e fez parte da equipa que realizou o documentário "Auto da Floripes".

Em 1962, foi preso pela PIDE, a polícia política da ditadura, e julgado no Tribunal Plenário do Porto, tendo sido compulsivamente afastado do Banco Ferreira Alves & Pinto Leite, onde até então trabalhava com o pai.

O título de Membro Honorário da Ordem dos Arquitetos foi-­lhe atribuído, a 8 de outubro de 2013, em Lisboa.

Em outubro de 2021 recebeu a Medalha de Mérito Cultural atribuída pelo Ministério da Cultura, numa cerimónia realizada na Casa da Arquitetura, em Matosinhos.

Leia Também: "Eunice Muñoz: Fotobiografia" é apresentada na quarta-feira na Gulbenkian

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório