Meteorologia

  • 24 OUTUBRO 2021
Tempo
25º
MIN 13º MÁX 25º

Edição

'Danças de Porto de Mós' fixadas no disco de estreia do grupo Aire

Um conjunto de 16 danças tradicionais de Porto de Mós, no distrito de Leiria, inspira o primeiro disco do grupo Aire, que é lançado na sexta-feira com o objetivo de salvaguardar o património tradicional daquele concelho do distrito de Leiria.

'Danças de Porto de Mós' fixadas no disco de estreia do grupo Aire
Notícias ao Minuto

08:14 - 16/09/21 por Lusa

Cultura Música

A edição faz parte de "Danças de Porto de Mós", projeto que arrancou em 2018 e que serve de título ao disco. Através dele, município e Politécnico de Leiria procuram a preservação e divulgação de uma parte relevante da herança imaterial cuidada pelos grupos folclóricos do concelho.

"Este lançamento é muito importante, porque é um marco que representa todo o projeto", disse a coordenadora de "Danças de Porto de Mós" e mentora do grupo Aire, Marisa Barroso, em declarações à agência Lusa.

Ao contrário de outras iniciativas realizadas, como oficinas, debates, bailes e conversas, que "acontecem, diluem-se no tempo e desaparecem", este disco fica e assume-se como uma "ferramenta de disseminação, física e nas plataformas 'online', que permite levar um registo das músicas e das danças a qualquer parte do mundo".

Entre Loureiros, Passe Catres, Fadinhos, Choutices ou Vá de Rodas, há "16 danças escolhidas com muita intencionalidade para a disseminação ramificada e solidificada com o resto do projeto".

Por isso, as coreografias e músicas foram selecionadas para permitir que sejam dançadas "dos dois aos 80 anos".

"Há desde danças difíceis de aprender até às extremamente fáceis", frisou a coordenadora, lembrando que "Danças de Porto de Mós" ambiciona chegar a vários níveis de ensino, "desde a pré-escola aos idosos, passando pelo secundário e adultos".

Formado por Anne Clément (flautas de bisel e voz), Emiliana Silva (violino), Rafael Gomes (concertina), Samuel Louro (bateria, percussão, guitarra) e Sara Vidal (voz e harpa celta), o grupo Aire deu "nova roupagem" às músicas, que revelam uma "preocupação muito grande de todas serem dançadas e estarem ao serviço de quem dança".

A combinação reflete o espírito original do projeto, que "é inovador com a arte popular, tradicional, folclórica", sublinhou Marisa Barroso, salientando a "proximidade entre a arte popular, a arte contemporânea e a pedagogia" alcançada em "Danças de Porto de Mós".

"Estamos muito felizes com tudo o que está a acontecer. Este é um disco multicultural e multidisciplinar, porque guarda músicas, guarda danças".

A investigadora acredita que a divulgação deste património de Porto de Mós vai causar "muito espanto", porque no disco se fala de "formas de vida e psicologia, posicionamentos de um passado que se assemelha muito ao presente e que dão lições muito fortes, de uma forma muito simples".

Após o lançamento do disco "Danças de Porto de Mós" na sexta-feira, no domingo o Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota, em São Jorge, Porto de Mós, recebe o baile-concerto de apresentação, a partir das 16:00.

Leia Também: Cineteatro da Feira com música, dança e teatro sobre saúde mental

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório