Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2021
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 26º

Edição

Exposição sobre rainha Maria II no Palácio da Ajuda abre amanhã

A exposição "D. Maria II. De princesa brasileira a rainha de Portugal. 1819-1853" abre ao público quarta-feira e vai estar patente até finais de setembro na galeria Rei D. Luís, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa.

Exposição sobre rainha Maria II no Palácio da Ajuda abre amanhã

A mostra é organizada em parceria pelos museus do palácio da Ajuda e da Presidência da República, sendo comissariada pelo professor no Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa José Miguel Sardica.

Maria II, salienta numa nota o Palácio da Ajuda, foi a última mulher a ocupar a chefia do Estado, tendo reinado em duas fases distintas, de 1826 a 1828, quando é desapossada do trono pelo seu tio, e de 1834 a 1853.

"Durante esses anos, Portugal passou do Absolutismo ao Constitucionalismo, registando grandes transformações sociais, económicas e culturais no país", segundo a organização.

Maria II foi a única monarca europeia nascida fora da Europa, filha do príncipe Pedro, primeiro imperador do Brasil, e da sua mulher, a arquiduquesa Maria Leopoldina.

Maria II sucedeu ao seu pai, Pedro IV (I do Brasil), que dele abdicou por insistência de vários setores da sociedade brasileira. O Brasil tornara-se uma nação independente em 1822 e não queria voltar a sentir-se unido, pela coroa, à antiga potência colonizadora.

Segundo a organização da exposição, a mostra inclui "várias centenas de peças e documentos reunidos [...] vindas de diversos museus nacionais, autarquias, colecionadores privados e do Governo Regional dos Açores", tendo muitas delas sido "restauradas propositadamente" para esta exposição.

Entre as diversas peças expostas, o palácio destaca as "várias joias pessoais de D. Maria II e a coroa real portuguesa que há mais de duas décadas não é exposta ao público".

A coroa portuguesa esteve exposta em 1991, na exposição "Joias e Tesouros da Casa Real Portuguesa", no Palácio da Ajuda, coordenada pela então diretora Isabel Silveira Godinho.

Leia Também: Bienal de Arquitetura de Veneza abre com projeto português 'InConflict'

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório