Meteorologia

  • 25 JUNHO 2021
Tempo
24º
MIN 18º MÁX 33º

Edição

Morreu o coreógrafo e bailarino alemão Raimund Hoghe

O coreógrafo e bailarino alemão Raimund Hoghe, que trabalhou em palcos portugueses e fez uma residência artística no Porto em 2018, morreu na quinta-feira, aos 72 anos, em Dusseldorf, na Alemanha, anunciaram hoje os seus agentes.

Morreu o coreógrafo e bailarino alemão Raimund Hoghe
Notícias ao Minuto

14:35 - 15/05/21 por Lusa

Cultura Raimund Hoghe

Autor de argumentos para a coreógrafa Pina Bausch (1940-2009), durante a década de 1980, o artista alemão, que também era cineasta e escritor, morreu "na quinta-feira à noite", na cidade onde residia, anunciou a agência de produção artística Les Indépendances, baseada em Paris.

"A sua carreira como bailarino e coreógrafo começou em 1992, em colaboração artística com Luca Giacomo Schulte", lê-se no comunicado da agência, que recorda 'Meinwärts', o seu primeiro trabalho a solo como bailarino, em 1994, assim como as coreografias 'Separate Room' e 'Another Dream', que se seguiram.

Nascido em Wuppertal, na Alemanha, Raimund Hoghe iniciou o percurso como jornalista do Die Zeit, associando-se depois a Pina Bausch, com quem trabalhou, como dramaturgo, de 1980 a 1989.

Na viragem para a década de 1990, iniciou uma parceria com o artista visual Luca Giacomo Shulte, assumindo igualmente a interpretação das suas coreografias, muitas delas apresentadas em Portugal, como 'Songs for Takashi', em novembro de 2017, na Culturgest, em Lisboa, interpretada por um dos seus bailarinos preferidos, e dedicatório da obra, o japonês Takashi Ueno.

Hoghe manteve um trabalho regular com o Teatro Municipal do Porto, sobretudo desde 2018, quando esteve na cidade para uma residência artística, da qual nasceu 'Moments of Young People', que no ano passado retomou no festival de dança de Montpellier, em França, com bailarinos portugueses já envolvidos na conceção da obra.

Raimund Hoghe escolheu esta criação para levar ao festival, quando foi convidado para a celebração das 40 edições do certame.

"Foi uma grande alegria trabalhar com eles, a personalidade deles é muito forte", disse o coreógrafo, no Porto, em 2018, sobre os bailarinos profissionais e amadores que envolveu na recriação de 'Moments of Young People', a partir de 'Young People, Old Voices', originalmente concebida para a Capital Europeia da Cultura de Bruges, em 2003.

No passado mês de janeiro, a obra do coreógrafo regressou ao Grande Auditório do Teatro Rivoli, com 'Postcards from Vietnam' e 'Canzone Per Ornella'.

Raimund Hoghe recebeu vários prémios, além da Ordem das Artes e das Letras de França.

Em 2020, foi-lhe atribuído o Prémio de Dança Alemã.

"De baixa estatura, o bailarino soube tirar o máximo partido da sua singularidade com força e graça", lê-se no comunicado da agência.

Leia Também: Erotismo, juventude e velhice dançam juntos em 'Insónia' de Olga Roriz

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório