Meteorologia

  • 04 DEZEMBRO 2020
Tempo
13º
MIN 6º MÁX 15º

Edição

Estação Teatral estreia peça inspirada na visita de Kubitschek ao Fundão

A ESTE-Estação Teatral vai estrear, no Fundão, a segunda parte de uma trilogia dedicada à Avenida da Liberdade, sobre a visita que antigo presidente do Brasil Juscelino Kubistchek fez, em 1963, àquela cidade.

Estação Teatral estreia peça inspirada na visita de Kubitschek ao Fundão
Notícias ao Minuto

12:30 - 20/10/20 por Lusa

Cultura Teatro

A estreia está marcada para dia 29 de outubro e a peça mantém-se em cena até 15 de novembro, no auditório d'A Moagem, seguindo todas as normas de segurança estabelecidas pela Direção Geral da Saúde no âmbito da pandemia, refere a ESTE em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

Com o nome 'A Avenida, de Salazar a Kubitschek', a peça cobre agora as vivências da emblemática artéria fundanense na década de 60 do século XX e representa a 40.ª criação desta companhia de teatro, que está sediada no Fundão, distrito de Castelo Branco.

"Num trabalho de fôlego, ao longo de três anos, que se articula num tríptico de encenações, a ESTE desenvolve um retrato social e político de um país distante mergulhado em atavismos vários onde o poder central e a igreja governam a seu bel-prazer", explica.

A ESTE lembra que, se na primeira parte da trilogia, em 2019, homenageou os lojistas e os seus clientes, "agora foca-se exclusivamente na vinda do ex-presidente do Brasil Juscelino Kubistchek, o "Presidente Bossa Nova", à cidade, naquele que foi um desfile presidencial (ou de campanha eleitoral brasileira), que visou essencialmente provocar o Estado Novo e trouxe, logo a seguir, consequências para alguns setores da sociedade, principalmente o Jornal do Fundão".

A peça também propõe uma reflexão sobre "o que significou, em 12 de janeiro de 1963, a insuspeita cidade do Fundão gritar a plenos pulmões, pela Avenida Salazar, através de uma multidão nunca ali vista, como se não houvesse amanhã, 'Brasil! Brasil! Brasil! Brasil!'"

"Num fundo de cores cinzentas irrompe insuspeitamente o verde, azul e amarelo", é lembrado.

O espetáculo conta com dramaturgia e encenação de Nuno Pino Custódio em cocriação com Joana Poejo, Patrícia Raposo, Pedro Fino e Tiago Poiares.

A interpretação é de Joana Poejo e Tiago Poiares, a conceção plástica é de Patrícia Raposo e o desenho de luz de Pedro Fino.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório