Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2020
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 19º

Edição

Salavisa: Gulbenkian recorda "colaborador fundamental" da sua história

A presidente da Fundação Calouste Gulbenkian lamentou hoje a morte do bailarino e coreógrafo Jorge Salavisa, "uma das mais destacadas personalidades da Dança e da vida cultural e artística portuguesa" e "colaborador fundamental da história da instituição".

Salavisa: Gulbenkian recorda "colaborador fundamental" da sua história
Notícias ao Minuto

17:34 - 28/09/20 por Lusa

Cultura Óbito

Numa mensagem enviada à agência Lusa, a presidente do conselho de administração da Gulbenkian, Isabel Mota, lamenta "o desaparecimento de uma das mais destacadas personalidades da Dança e da vida cultural e artística portuguesa ao longo das últimas sete décadas".

O bailarino e coreógrafo Jorge Salavisa, que dirigiu o Ballet Gulbenkian e a Companhia Nacional de Bailado (CNB), morreu hoje, aos 81 anos, confirmou à agência Lusa fonte oficial da CNB.

Isabel Mota destaca "a brilhante carreira internacional" de Jorge Salavisa enquanto bailarino, que abandonou aos 36 anos e após a qual assumiu a direção artística do Ballet Gulbenkian, "que exerceu durante vinte anos e onde teve um papel decisivo na vinda a Portugal de alguns dos maiores coreógrafos mundiais da Dança Contemporânea e na formação de gerações sucessivas de bailarinos e coreógrafos portugueses".

A presidente da Fundação Calouste Gulbenkian "presta a mais sincera homenagem à memória deste colaborador fundamental da história da instituição, na certeza de que o seu legado continuará a servir de inspiração a todos os criadores, intérpretes, programadores e espectadores nos múltiplos campos em que o seu talento único se manifestou".

A notícia da morte de Jorge Salavisa foi avançada pelo jornal Público. Segundo aquele jornal, o bailarino e coreógrafo morreu em casa, em Lisboa, vítima de doença.

Nascido em Lisboa, em 1939, Jorge Salavisa iniciou os estudos de dança com Ana Máscolo e prosseguiu a sua formação artística em Paris, com Victor Gsovsky e Lubov Egorova, ingressando a seguir no Grand Ballet du Marquis de Cuevas, onde permaneceu até à extinção dessa companhia, em junho de 1962.

Entre 1977 e 1996 foi diretor do Ballet Gulbenkian, companhia que acabou por ser extinta em 2005.

Em 1998, assumiu a direção da CNB, mantendo-se no cargo até 2001. Jorge Salavisa também presidiu ao Organismo de Produção Artística, entidade gestora do Teatro Nacional de São Carlos e da CNB, entre maio de 2010 e janeiro de 2011.

Ao longo da carreira, Jorge Salavisa trabalhou com bailarinos e coreógrafos de renome como Bronislava Nijinska, Robert Helpmann, Daniel Seillier, Nicholas Beriosoff, Maria Fay, Roland Petit, Mary Skeaping, John Taras, entre outros.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório