Meteorologia

  • 28 SETEMBRO 2020
Tempo
25º
MIN 15º MÁX 27º

Edição

Estreias de Marlene Monteiro Freitas e de Joana Gama na Culturgest

Estreias nacionais da coreógrafa Marlene Monteiro Freitas e de novos projetos da pianista Joana Gama, que desvenda a obra de Hans Otte, estão entre as propostas da programação da Culturgest, a partir de setembro, anunciada hoje, em Lisboa.

Estreias de Marlene Monteiro Freitas e de Joana Gama na Culturgest
Notícias ao Minuto

11:30 - 24/07/20 por Lusa

Cultura Culturgest

O saxofonista Ricardo Toscano e a companhia Rosas, da coreógrafa belga Anne Teresa de Keersmaeker, com duas propostas distintas inspiradas em John Coltrane, a música do britânico Sonic Boom e a dança de Christos Papadopoulos são outros destaques da programação definida pela Culturgest para os meses de setembro a dezembro deste ano.

As propostas preveem ainda um programa de exposições, que vai da obra de Gabriela Albergaria ao uso do som nas artes visuais, e um outro de conferências, também disponível em 'live streaming', que aborda questões sociais, do feminismo ao valor do trabalho artístico, envolvendo figuras como a escritora e professora de Filosofia Política Silvia Federici e o ativista brasileiro António Bispo dos Santos.

A colaboração com a escola de verão da BoCA (Biennal of Contemporary Arts), em setembro, vai garantir a presença do encenador Stefan Kaegi, um dos fundadores da companhia Rimini Protokoll, assim como uma oficina de cinema com os realizadores João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata.

Em novembro, o festival Alkantara levará à Culturgest espetáculos dirigidos pelos coreógrafos Eszter Salamon e Faustin Linyekula que, à semelhança de Keersmaeker, já protagonizou a Bienal Artista na Cidade de Lisboa. No mês anterior, outubro, será a vez do cinema, com o regresso do festival Doclisboa, na 18.ª edição, depois de o IndieLisboa - Festival Internacional de Cinema independente abrir a sua 17.ª edição na Culturgest, a 25 de agosto e, com ela, a nova temporada da instituição.

A dança constitui aliás um dos principais destaques da programação, com várias estreias nacionais e a mobilização de cinco dos principais coreógrafos da atual dança contemporânea.

No dia 24 de setembro, Marlene Monteiro Freitas, Leão de Prata na Bienal de Veneza de 2018, estreia em Portugal a sua nova coreografia, "Mal -- Embriaguez Divina", uma coprodução da Culturgest com o Münchner Kammerspiele, teatro público de Munique, os festivais das artes de Viena e de Bruxelas (Wiener Festwochen e KunstenfestivaldesArts) e a trienal do Ruhr (Ruhrtrienalena).

O espetáculo ficará durante três dias na Culturgest antes da sua apresentação no Rivoli Teatro Municipal, no Porto.

Nos dias 16 e 17 de outubro, será a vez de "Ion", do Christos Papadopoulos, bailado "inspirado em fenómenos naturais como um bando de pássaros a voar ou um cardume de peixes em movimento", enquanto em novembro, no âmbito do festival Alkantara, serão apresentados "Still Dance for Nothing", de Eszter Salamon, no primeiro dia do festival, em 13 de novembro, e "História(s) do Teatro II", de Faustin Linyekula, nos dias 26 e 27 de novembro.

Em 12 e 13 de dezembro, Anne Teresa de Keersmaeker e a companhia Rosas regressam à Culturgest com "A Love Supreme", uma criação partilhada com Salva Sanchis, que tem por base o álbum homónimo de John Coltrane.

Poucos dias depois, 18 de dezembro, será a vez de Ricardo Toscano celebrar esta "obra prima" do saxofonista norte-americano, com a reconstrução de "A Love Supreme" em sala, expandindo o quarteto clássico ao formato de septeto, de modo a criar "um punhado de reflexões sobre um dos cânones mais inspiradores do jazz do século XX", adiantam as notas do programa.

As novas interpretações sobre as quatro partes do álbum original serão emitidas em vídeo nas plataformas 'online' da Culturgest.

Na área da música, destacam-se igualmente dois novos projetos da pianista Joana Gama: "O Livro dos Sons" ("Das Buch der Klänge"), de Hans Otte (1926-2007), "um momento de rara luminosidade da criação artística do sécúlo XX", que será apresentado pela primeira vez ao vivo em Portugal, no dia 09 de outubro; e o novo capítulo de "Textures & Lines", projeto com Luís Fernandes, desta vez acompanhados pelo Drumming -- Grupo de Percussão e o realizador Pedro Maia, em 19 de novembro.

A apresentação da obra de Hans Otte será antecedida de uma palestra, em 08 de outubro, em parceria com o Goethe Institute. "A força, a importância e o impacto da música" do compositor alemão serão também demonstradas em peças encomendadas aos músicos Norberto Lobo, Helena Espvall, Bruno Álvares, Violeta Azevedo, Pedro Melo Alves e Joana Conceição. As seis peças-concerto a solo serão mostrados 'online'.

No âmbito do projeto "Textures & Lines", Joana Gama, Luís Fernandes e o Drumming, de Miquel Bernat, "embarcam numa série de experimentações coletivas, interligando som acústico e som amplificado", acompanhadas pelas imagens de Pedro Maia.

O ponto de partida da temporada de música da Culturgest é porém assinalado a 17 de setembro, com o concerto de apresentação do álbum a solo de Sonic Boom, projeto do britânico Peter Kember, cofundador dos Spacemen 3 e produtor de músicos como Panda Bear. "All Things Being Equal" foi editado no passado mês de junho e começou a ser gravado em 2015, pouco antes de Kember se ter fixado em Sintra.

As bilheteiras para os espetáculos terão abertura faseada, a partir de hoje.

O acesso aos edifícios da Culturgest, em Lisboa e no Porto, a lotação dos auditórios e das galerias respeita as normas de higiene e as distâncias de segurança, exigidas pelo controlo à propagação da covid-19.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório