Meteorologia

  • 24 JANEIRO 2020
Tempo
MIN 8º MÁX 13º

Edição

Madalena Palmeirim fez "caixinha de surpresas" do álbum 'Right as Rain'

A compositora e cantora Madalena Palmeirim, há dez anos no panorama musical, editou o álbum 'Right as Rain', que define como "um caixinha de surpresas", em declarações à agência Lusa.

Madalena Palmeirim fez "caixinha de surpresas" do álbum 'Right as Rain'
Notícias ao Minuto

09:01 - 11/12/19 por Lusa

Cultura Música

Madalena Palmeirim começou por trabalhar com o irmão Bernardo Palmeirim, com quem assumiu o projeto Nome Comum, do qual saíram dois discos.

Trabalhou também com a compositora e multi-instrumentista Francisca Cortesão e, em nome próprio, apresentou um projeto na área da música 'indie-folk', 'L Mantra'. Em 2014 "obrigou-se" a compor uma canção por semana e a disponibilizá-la, "praticamente pronta", num portal eletrónico. Este foi o projeto 'Week In Week Out'.

Em 2015 gravou o EP 'Mondays', com canções de "espírito alternativo, folk, country, pop e indie", que apresentou em várias salas nacionais e em festivais.

Referindo-se a este novo CD, Madalena Palmeirim, de 32 anos, reconhece "um certa influência cabo-verdiana", que lhe surgiu quando lhe foi apresentado um cavaquinho.

Assumindo-se como "autodidata", "experimentando diferentes instrumentos", Madalena Palmeirim disse à agência Lusa que "há muito acalentava a vontade de apresentar as canções" do CD 'Right as Rain'.

Este álbum conta com colaborações de Carlos Barretto, Inês Pimenta, Giulia Galina, e é composto por doze canções em inglês, crioulo de Cabo Verde e inglês.

Referindo-se ao título 'Right as Rain', a intérprete afirmou que "gosta de expressões idiomáticas, que não são deduzíveis a partir do seu sentido literal, e acabam por ter muitos significados conforme o contexto".

"Gosto muito dessa confusão e também daí a minha curiosidade e o meu interesse em brincar com diferentes línguas, numa abordagem muito musical em brincar com a palavra, enquanto música", acrescentou.

Referindo-se à influência cabo-verdiana, a multi-instrumentista afirmou-se "fascinada" por este universo musical que se reflete noutros temas como no "fado" 'Teus Braços de Embalar'.

Uma influência que tomou em Portugal, pois só recentemente esteve em Cabo Verde, que apontou "como "um forte centro cultural de confluências".

Quanto às suas referências musicais, Madalena Palmeirim citou Vinicius de Morais, Leonard Cohen, Cartola, Germano Matias, uma 'panóplia' que qualificou como "quase uma esquizofrenia".

A compositora referiu-se à sua música como "plural e aberta ao mundo", o que se liga à "sua natureza", ao "fascinar-se com diferentes géneros e diferentes línguas, e daí ter convidado pessoas de fora, que são amigos", para este álbum, disse.

Além de Carlos Barreto, Inês Pimenta e Giulia Galina, Madalena Palmeirim conta também com Momo, Gonçalo Castro, Nuno Morão, Manuel Dórdio, Francisca Cortesão, David Santos e o irmão Bernardo Palmeirim.

O CD abre com "Right as Rain", que qualificou como "orelhuda", e inclui mais 11 canções entre as quais 'M'Cá Sabé', 'Para todo lado' e 'Solidão'.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório