Meteorologia

  • 22 JULHO 2019
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 19º

Edição

DGPC deverá contratar uma dezena de arqueólogos

A Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) poderá contratar cerca de uma dezena de arqueólogos, para responder a uma das reivindicações do setor, afirmou hoje a ministra da Cultura, Graça Fonseca.

DGPC deverá contratar uma dezena de arqueólogos

"Há uma enorme diferença entre o que é reivindicado, do número de postos de trabalho, pelos trabalhadores, e aquilo que é possível acomodar nos lugares disponíveis no quadro de pessoal da DGPC. Tínhamos de encontrar um meio caminho entre o tudo ou nada", explicou Graça Fonseca, numa audição parlamentar.

A ministra foi questionada pelo Bloco Esquerda e pelo PCP, sobre as reivindicações dos trabalhadores de Arqueologia da DGPC, que em abril fizeram greve, para reivindicar melhores condições de trabalho e reforço dos recursos humanos da instituição.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores de Arqueologia (STARQ), no processo negocial, "a DGPC propôs a criação de apenas quatro novos postos de trabalho para a Arqueologia, até ao final" deste ano, quando "urge criar e preencher" 49 lugares.

Hoje, Graça Fonseca sublinhou que não é possível responder a esta reivindicação, mas que estava "a ser trabalhado com o sindicato" um reforço de 10 a 11 arqueólogos, naquela direção-geral.

"Não podemos ocupar todos os lugares de técnicos superiores para a Arqueologia. A questão dos recursos humanos é transversal a várias áreas da Cultura e ao Estado. Tem de ser um trabalho em conjunto, olhando para as necessidades globais", disse.

Ainda sobre a área da Arqueologia, a ministra da Cultura garantiu que o Centro Nacional de Arqueologia Náutica e Subaquática (CNANS) reabrirá até ao final de junho nas novas instalações em Xabregas, Lisboa.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório