Meteorologia

  • 22 ABRIL 2019
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 16º

Edição

Grémio Literário quer marcar agenda com colóquios 'Tradição e Revolução'

O ciclo de colóquios intitulado 'Tradição e Revolução', a iniciar no próximo dia 14, no Grémio Literário, em Lisboa, pretende colocar esta instituição na agenda cultural da capital, disse o embaixador Luís Filipe Castro Mendes.

Grémio Literário quer marcar agenda com colóquios 'Tradição e Revolução'
Notícias ao Minuto

14:52 - 02/03/19 por Lusa

Cultura Ciclo

O ex-ministro da Cultura, que coordena o primeiro ciclo de quatro colóquios, em declarações à agência Lusa, realçou o "excelente trabalho feito pelo Grémio", mas sublinhou também a necessidade de este "sair dos seus muros".

Referindo-se às conferências, "com interesse político, cultural, económico e literário", Castro Mendes afirmou que se pretende que "tragam o Grémio Literário para mais junto das pessoas e dos interesses dos cidadãos e das pessoas de cultura, de modo a manter uma presença constante na nossa vida cultural".

Estes colóquios, explicou, "pretendem, através de datas importantes do Grémio Literário, evocar e fazer as ligações entre as revoluções que se passaram na nossa vida política e as revoluções na nossa cultura".

Castro Mendes, autor de livros de poesia, recordou que o Grémio Literário, uma iniciativa dos escritores Almeida Garrett e Alexandre Herculano, foi constituído a 18 de abril de 1846, "dois dias antes da Patuleia", o movimento político que opôs 'cartistas' defensores da Carta Constitucional, de 1822, e os denominados 'setembristas', liberais radicais, entre os quais Passos Manuel, que, quando formou Governo, contou com Almeida Garrett.

A ideia destes colóquios é apresentar o "Grémio como um testemunho dessas várias ruturas na nossa política, na nossa sociedade e, naturalmente, na nossa cultura", disse Castro Mendes.

O primeiro colóquio é dedicado à Revolução Liberal, que eclodiu em 1820, no Porto, e que, segundo Castro Mendes, causou "a maior mudança social que Portugal teve".

'1846: Fundação do Grémio Literário - a Revolução Liberal e o Romantismo - Herculano e Garrett' é o título da primeira conferência, no dia 14 de março, às 18:45, com a participação do catedrático da Universidade de Coimbra, Fernando Catroga, e a catedrática da Universidade de Lisboa, Helena Carvalhão Buescu, sendo moderador o embaixador Luís Castro Mendes.

A esta conferência sobre as revoluções liberal e do romantismo, seguem-se três outras, sem data agendada, todas, também, moderadas por Castro Mendes.

A segunda será sobre 'O Constitucionalismo Monárquico e a crítica da Geração de 70', da qual fizeram parte, entre outros, Antero de Quental, Oliveira Martins, Eça de Queirós e Jaime Batalha Reis.

O terceiro colóquio será sobre a República, proclamada em 1910, e a data de 1912, quando se realizou uma exposição de artes plásticas dos Modernistas portugueses, entre os quais Almada Negreiros, nos salões do Grémio Literário.

"A propósito disso iremos evocar a revolução republicana e a revolução modernista, nomeadamente com a Geração do Orpheu, com Almada Negreiros e Fernando Pessoa", entre outros.

O quarto colóquio será sobre o Grémio na década de 1970. Castro Mendes destacou que, "imediatamente antes do 25 de Abril de 1974, realizou-se, sob a orientação de José-Augusto França, um notável ciclo de conferências sobre o século XIX, com um pensamento crítico e o Grémio tem também uma história a contar no 25 de Abril".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório