Meteorologia

  • 05 DEZEMBRO 2019
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

Arquitetos e curadores refletem 'A Viena de Wittgenstein' em seminário

Curadores e arquitetos vão participar no sábado num seminário sobre a 'A Viena de Wittgenstein', como ponto de partida para debater a modernidade e a arquitetura, no Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), em Lisboa.

Arquitetos e curadores refletem 'A Viena de Wittgenstein' em seminário
Notícias ao Minuto

18:01 - 21/02/19 por Lusa

Cultura MAAT

O seminário, organizado no contexto da exposição 'Haus Wittgenstein', patente no MAAT, irá receber participações dos arquitetos Ana Tostões, João Luís Carrilho da Graça e Ricardo Carvalho, e do professor de filosofia e investigador Nuno Venturinha.

Contará ainda com a professora catedrática de estudos da cultura e reitora da Universidade Católica Portuguesa (UCP), Isabel Capeloa Gil, com o crítico e ensaísta António Guerreiro, o curador Nuno Crespo e o escritor e diretor cultural da Fundação EDP, José Manuel dos Santos.

A cidade do 'L'Apocalypse joyeuse', como lhe chamou o ensaísta e historiador francês de arte Jean Clair, o debate arquitetónico contra o ornamento, liderado pelo arquiteto Adolf Loos, e a maneira como a modernidade conhece nesta altura uma importante formulação, serão os temas deste seminário.

O seminário decorrerá entre as 15h00 e as 19h00, na Sala dos Geradores do edifício Central Tejo, em Belém.

Inaugurada em novembro do ano passado, a exposição 'Haus Wittgenstein' ('Casa Wittgenstein'), patente na Galeria Principal do MAAT, com curadoria de Nuno Crespo, foca a história de 90 anos da casa do filósofo Ludwig Wittgenstein (1889-1951) em Viena, um projeto iniciado em 1926 e concluído em 1928, que envolve arte, arquitetura e filosofia.

A casa tornou-se um ícone que foi inspiração para muitos artistas e tema de estudo de muitos curadores e historiadores de arte em todo o mundo, já que Wittgenstein foi o seu arquiteto.

Por outro lado, também porque a história do projeto, a sua construção e habitação, convocaram uma série de conflitos que servem como possibilidade compreensiva do que é um processo criativo tanto em arte, como em arquitetura.

Esta exposição - que estará patente até 25 de fevereiro - apresenta uma seleção de obras de várias instituições e artistas, incluindo um conjunto de trabalhos inéditos de artistas portugueses, que tomaram como ponto de partida a exploração da casa e as ideias deste filósofo.

Vitto Acconci, Ana de Almeida, Leonor Antunes, John Baldessari, Vasco Barata, Robert Barry, Mel Bochner, Pedro Cabrita Reis, Ricardo Carvalho, Nuno Cera, Gil Heitor Cortesão, Luísa Cunha, João Paulo Feliciano, Ângela Ferreira, Horácio Frutuoso, João Maria Gusmão e Pedro Paiva e Sabine Hornig, estão entre os artistas representados.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório