Meteorologia

  • 20 MARçO 2019
Tempo
19º
MIN 19º MÁX 20º

Edição

Dois concertos dos Refugees for Refugees em maio em Portugal

O grupo Refugees for Refugees, que reúne músicos de regiões marcadas por conflitos e que encontraram refúgio na Bélgica, vai atuar em maio em Lisboa e em Évora, revelou a promotora.

Dois concertos dos Refugees for Refugees em maio em Portugal
Notícias ao Minuto

20:15 - 15/02/19 por Lusa

Cultura Grupo

A 28 de maio, o projeto apresenta-se no Teatro da Trindade, em Lisboa, no âmbito de um ciclo dedicado a músicas do mundo, e no dia 29 estará no Teatro Garcia de Resende, em Évora.

As duas datas inserem-se numa digressão europeia que os Refugees for Refugees começam no sábado em Bruxelas, por causa de um álbum que gravaram juntos, 'Amina', que acaba de ser editado.

O grupo nasceu em 2015 e congrega músicos refugiados provenientes da Síria, do Iraque, do Paquistão, do Afeganistão e do Tibete que encontraram acolhimento e apoio na Bélgica.

"Reuniram uma herança musical diversificada com a intenção de criar um repertório único, criando pontes entre as culturas de cada um e promovendo uma mensagem de esperança e resiliência", lê-se na página oficial do projeto.

'Amina' resulta de dois anos de trabalho criativo dos músicos e significa um novo capítulo na história do coletivo, conjugando canto espiritual paquistanês, mantras tibetanos, ragas e percussões orientais: "Representa reconstrução, renovar uma energia que era precisa para marcar um novo percurso".

Dos Refugees for Refugees fazem parte os músicos profissionais Asad Qizilbash (Paquistão), Aren Dolma (Tibete), Fakher Madallal (Síria), Kelsang Hula (Tibete), Mohammad Aman Yusufi (Afeganistão), Simon Leleux (Bélgica), Souhad Najem (Iraque), Tammam Al Ramadan (Síria), Tarek Alsayed Yahya (Síria) e Tristan Driessens (Bélgica).

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório