Meteorologia

  • 15 DEZEMBRO 2018
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 14º

Edição

Livro aborda a decadência dos partidos socialistas e o futuro da Europa

A decadência de vários partidos socialistas ameaça o futuro da Europa nos planos político, social e económico, alerta o professor universitário Rui Namorado num livro que vai ser apresentado em Coimbra, na quinta-feira.

Livro aborda a decadência dos partidos socialistas e o futuro da Europa
Notícias ao Minuto

19:50 - 19/11/18 por Lusa

Cultura Literatura

Essa perda de influência das organizações políticas que se reclamam do socialismo democrático "é não só um risco para os partidos atingidos, mas também para o futuro da Europa", afirma o investigador e antigo deputado do PS na obra "Suplício e paixão do socialismo".

"A reversão dessa decadência dificilmente poderá ocorrer sem a conquista de um novo tipo de enraizamento social dos socialistas democráticos", defende.

Em declarações à agência Lusa, o professor jubilado da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (UC) disse que escreveu este livro "em consonância com uma visão marxista da sociedade, mas não sectária".

Perfilhando "um marxismo crítico e aberto", enquanto "instrumento de análise e reflexão", Rui Namorado salientou que encara o socialismo "como um processo social de tradição emancipatória" da Humanidade.

"O socialismo é um dos processos de emancipação mais relevantes em termos históricos", acrescentou.

Os seus textos "refletem uma atitude crítica em face da orientação político-ideológica dominante no seio do socialismo democrático, durante o último quarto de século, em especial no plano europeu, procurando contribuir para um esboço de alternativa".

O autor encara o colapso da ex-União Soviética, em 1991, como "abertura de uma nova fase na evolução política europeia, indutora de uma mudança do lugar relativo do socialismo democrático no xadrez político" da União Europeia.

Mas os textos também "assumem criticamente como atmosfera partilhada toda a tradição socialista, encarando-a como a expressão política mais relevante do movimento operário e como uma das mais importantes manifestações do ímpeto emancipatório dos povos".

Rui Namorado, que enquanto estudante da UC foi um dos protagonistas da Crise Académica de 1969, critica "o imobilismo teórico, estratégico e político que tem predominado no conjunto dos partidos que integram o Partido Socialista Europeu", nas últimas décadas.

"Isso facilitou muito a subalternidade ideológica e política do socialismo democrático na Europa, em face da ideologia liberal conservadora dominante", acentua.

Em 1986, Rui Namorado envolveu-se na candidatura de Maria de Lourdes Pintasilgo à Presidência da República, tendo aderido mais tarde ao PS, pelo qual cumpriu um mandato de deputado à Assembleia da República, entre 1995 e 1999.

Editado pela Lápis de Memórias, "Suplício e paixão do socialismo" vai ser apresentado numa sessão na Casa da Cultura de Coimbra, na quinta-feira, às 18:00, em que intervêm o psiquiatra Pio de Abreu e o sociólogo António Casimiro Ferreira.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório