Meteorologia

  • 18 NOVEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 15º

Edição

Exposição com obras de Júlio Pomar e Luisa Cunha inaugura hoje

Obras de Júlio Pomar e Luísa Cunha, artistas que têm em comum terem resistido às convenções através da ironia, cruzam-se na exposição 'O Material Não Aguenta', que é hoje inaugurada, no Atelier-Museu Júlio Pomar, em Lisboa.

Exposição com obras de Júlio Pomar e Luisa Cunha inaugura hoje
Notícias ao Minuto

06:30 - 18/10/18 por Lusa

Cultura Atelier

A mostra, cujo projeto foi iniciado ainda em vida do pintor, falecido em maio deste ano, tem curadoria de Sara Antónia Matos e vai estar patente até 20 de janeiro de 2019.

A exposição 'O Material Não Aguenta: Júlio Pomar e Luísa Cunha' dá seguimento a um programa de exposições do Atelier-Museu que, todos os anos, procura cruzar a obra de Júlio Pomar com a de outros artistas, de modo a estabelecer novas relações entre a obra do pintor e a contemporaneidade.

Deste modo, esta exposição é pensada, desde a sua génese, como uma intervenção específica no espaço do Atelier-Museu.

"Ambos detentores de sentido crítico, Júlio Pomar reconheceu na obra de Luísa Cunha uma qualidade irónica e até mordaz em relação à realidade, que, segundo o pintor, prometia uma aproximação inesperada entre a obra de ambos", indica um texto daquela entidade, hoje divulgado.

Na base deste pensamento do pintor teriam estado peças como 'É uma pena' (2003), de Júlio Pomar, e 'Obra com nível' (2011), de Luísa Cunha, que "integram nos seus corpos os objetos que lhes dão nome, uma pena e um nível, respetivamente, servindo-se dos trocadilhos semânticos que os títulos lacónicos instauram na leitura das peças".

Na exposição estarão patentes as obras 'Dirty Mind' (1995), de Luísa Cunha, uma obra composta por um estore vermelho, com uma lamela deformada que convida a espreitar pela fresta, "sentido 'voyerista' logo frustrado, na medida em que a obra foi concebida para expor contra uma parede".

Também está presente 'Drop the bomb!' (1994), num lugar onde não poderia ser mais inadequada a instrução para o ato de "largada de uma bomba", um museu, onde todos os cuidados de conservação, preservação e manutenção de obras e espólios são poucos.

'O Material Não Aguenta', título da exposição, "deriva de uma conversa com a artista, sublinhando a perda da dimensão icónica, celebrativa e por vezes intocável da obra de arte".

No decurso da exposição será publicado um catálogo - com edição do Atelier-Museu Júlio Pomar/Documenta - e imagens das obras instaladas no espaço casa-museu.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório