Meteorologia

  • 13 DEZEMBRO 2018
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 12º

Edição

A coletânea que é uma homenagem a crianças mortas por balas perdidas

É lançada esta quarta-feira uma coletânea de contos especial. ‘PERDIDAS: histórias para crianças que não têm vez’ fala sobre casos de balas perdidas, em comunidades do Rio de Janeiro, que mataram… crianças. O valor das vendas reverte para organizações de promoção da cultura e defesa da infância.

A coletânea que é uma homenagem a crianças mortas por balas perdidas
Notícias ao Minuto

17:48 - 03/10/18 por Ana Lemos 

Cultura Livros

A apresentação está marcada para hoje e o debate promete. Falamos da coletânea de contos ‘PERDIDAS: histórias para crianças que não têm vez’.

“Revoltados com as recentes e repetidas mortes de crianças por bala perdida — como a de Maria Eduarda, de 13 anos na própria escola, ou a de Arthur, baleado quando ainda estava na barriga da mãe — vários autores decidiram pôr ‘mãos à obra’ e “passaram a escrever, espontaneamente, sobre aqueles meninos e meninas”.

O resultado é agora revelado. Seja através de contos, crónicas ou poemas, autores como Edney Silvestre, Noemi Jaffe, Santiago Nazarian e Andrea del Fuego, tratam em ‘PERDIDAS’ a infância e violência, “homenageando e dando voz àquelas crianças que não têm vez”.

Para levantar um pouco o véu sobre o que pode encontrar neste livro, fique a saber que, por exemplo, “Edney Silvestre recria em diálogo o desespero de um menino baleado", já "Noemi Jaffe escreve sobre o absurdo do ponto de vista da bala". "Anita Deak escreve uma carta a Arthur, alvejado mesmo antes de nascer", e Marcelo Moutinho e Santiago Nazarian tentam aproximar o leitor "do quotidiano e da emoção das mães que perderam seus filhos”.

Notícias ao MinutoCapa da coletânea que é hoje apresentada em Portugal© dr

Estamos perante uma coletânea que é “uma forma de unir escritores independentemente da visão política de cada um, em torno de um absurdo que enfrentamos diariamente”, destaca Katia Gerlach, uma das organizadoras da apresentação do livro em Portugal. E a par disso, salienta Alexandre Staut, “os autores cederam os seus royalties" e a editora reverterá o valor das vendas da "para ações de educação, amparo e desenvolvimento de crianças e jovens em áreas de risco no Rio de Janeiro".

De salientar que os textos que vai encontrar nesta obra “foram originalmente publicados na revista literária digital São Paulo Review.

Notícias ao MinutoFica o convite para a apresentação da obra© dr

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório