Meteorologia

  • 14 NOVEMBRO 2018
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 13º

Edição

FEST arranca hoje em Espinho com mais de 240 filmes a exibir

A 14.ª edição do FEST -- Festival Novos Realizadores Novo Cinema arranca hoje, em Espinho, com mais de 240 filmes em toda a programação, que inclui ainda um programa de formação e várias atividades paralelas.

FEST arranca hoje em Espinho com mais de 240 filmes a exibir
Notícias ao Minuto

07:39 - 18/06/18 por Lusa

Cultura Cinema

Subordinado ao tema "Fronteiras", o festival abre este ano com "Mobile Homes", longa-metragem de estreia do francês Vladimir Fontenay, que abriu a Quinzena dos Realizadores na última edição do Festival de Cannes, pelas 21:00 no auditório do Centro Multimeios de Espinho.

O filme, que acompanha uma jovem mãe "que deambula em vários motéis com o filho de oito anos e um namorado toxicodependente", até o trio descobrir "uma comunidade de casas pré-fabricadas" que se revela "uma alternativa de vida", conta com Imogen Poots e Callum Turner, nos principais papéis.

Na luta pelo Lince de Ouro, prémio atribuído a longas-metragens documentais ou de ficção que sejam primeiras ou segundas obras, estará também "Winter Brothers", do islandês Hlynur Palmason, premiado no Festival de Locarno.

O documentário "Lupo", de Pedro Lino, é o único filme português a concurso, que tem ainda "Photon", do polaco Norman Leto, "Killing Jesus", de Laura Mora, e "Blockage", um olhar sobre Teerão por Mohsen Gharaei.

Também incluídos no lote de 11 filmes estão "Das Fest -- Impreza", obra documental da alemã Alexandra Wesolowski, "Lemonade", da romena Joana Uricaru, e a comédia negra "I'm Not a Witch", da realizadora de nacionalidade zâmbia e galesa Rungano Nyoni, premiada nos últimos Prémios BAFTA (Melhor Estreia), da Academia Britânica de Cinema e Televisão.

"O tema deste ano do festival é 'fronteiras', e sentimos que tudo isto que se passa no mundo, hoje em dia, em todas as suas partes, é algo com muito forte presença no trabalho destes novos realizadores", disse à Lusa o diretor do FEST.

A "visão social destes autores é uma visão heterogénea", sublinhou Filipe Pereira, mas tem "um fio condutor de como a nova geração vê o mundo", como em "Sand and Blood", documentário feito através de vídeo publicados no YouTube sobre a guerra na Síria e no Iraque.

O filme realizado pelos austríacos Angelika Spangel e Matthias Krepp também compete pelo Lince de Ouro, cuja lista final inclui igualmente a estreia como realizadora da atriz suíça Lisa Bruhlmann, com "Blue My Mind".

À margem das várias secções da competição principal, decorrem ainda várias outras atividades, como sessões de cinema na praia ou o "FESTinha", dedicado a cinema para famílias e para os mais novos, o Grande Prémio Nacional, para curtas-metragens nacionais, um outro prémio para realizadores recém-graduados (NEXXT) e o foco sobre o cinema japonês, austríaco e sueco.

Na secção de retrospetiva, "Be Kind Rewind", Filipe Pereira assumiu que o destaque para a Coreia do Norte é um desejo de "há muito tempo", e tem agora "um acréscimo de interesse curioso", pelo encontro de Kim Jong-Un com Donald Trump.

"Estamos a falar do único país do mundo em que era obrigatório por lei ir ao cinema, e tem algumas particularidades, sobretudo pela parte da propaganda. Teremos, por exemplo, versões norte-coreanas de clássicos do cinema, como de 'Titanic'. É uma janela para o cinema desse país e dessa sociedade, até porque serão apresentados filmes de épocas diferentes".

Por outro lado, o habitual programa de oficinas, 'masterclasses', conferências, palestras e debates sobre as várias áreas ligadas ao cinema, "Training Ground", reúne este ano em Espinho o produtor norte-americano Roman Coppola, filho de Francis Ford Coppola, a italiana Gabriella Cristiani, editora galardoada com um Óscar pelo trabalho de montagem de "O Último Imperador" (1987), de Bernardo Bertolucci, e o cineasta iraniano Asghar Farhadi.

O realizador de 46 anos já recebeu dois Óscares de Melhor Filme Estrangeiro, primeiro em 2012, por "Uma Separação", e depois em 2017, por "O Vendedor".

Farhadi é um dos nomes mais premiados entre os convidados e intervenientes do festival.

Decorrendo em quatro espaços distintos da cidade de Espinho, em particular no Centro Multimeios, a edição de 2018, a decorrer de segunda-feira a segunda-feira (de 18 a 25 de junho) visa assim exibir e premiar "alguns dos mais inovadores e essenciais trabalhos lançados nos últimos 12 meses", em cerca de 40 países, entre os quais se incluem filmes de "mais de 50 escolas de cinema", de diferentes nacionalidades.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório