Meteorologia

  • 20 JUNHO 2018
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 21º

Edição

Primavera Sound: Mau tempo não afastou público no 1.º dia do festival

O Primavera Sound arrancou hoje no Parque da Cidade do Porto, marcado pelo mau tempo, que ainda assim não afastou o público do primeiro de três dias de festival, com concertos de Lorde ou Father John Misty.

Primavera Sound: Mau tempo não afastou público no 1.º dia do festival
Notícias ao Minuto

06:15 - 08/06/18 por Lusa

Cultura Porto

A cantora neozelandesa, que saltou para a fama aos 18 anos graças ao sucesso de "Royals", faixa incluída no álbum de estreia de 2013 "Pure Heroine", apresentou temas do primeiro longa duração, ainda que se tenha focado no mais recente trabalho de estúdio, "Melodrama" (2017).

Lorde foi a cabeça de cartaz na abertura da sétima edição do Primavera Sound, atuando por volta das 22:00, numa altura em que a plateia se deslocou em massa para poder assistir à atuação no palco principal que incluiu, também, vários bailarinos e 'performers'.

Father John Misty, 'alter ego' musical do baterista dos Fleet Foxes, Joshua Tillman, acolheu a primeira grande enchente no Palco SEAT, apresentando o disco "God's Favorite Customer", lançado no dia 01 de junho.

O concerto do músico do estado norte-americano de Maryland conjugou o lado mais melódico com a vontade de 'eletrizar' o público, pegando em "Pure Comedy", disco de 2017, o segundo registo de estúdio "I Love You Honeybear" ou o trabalho mais recente, terminando com a faixa "The Ideal Husband", num concerto exigente da parte instrumental.

O momento de destaque do novo palco, dos quatro disponíveis no recinto, surgiu com o 'rapper' Tyler the Creator, que se estreou em Portugal, após ter cancelado a atuação no Super Bock Super Rock de 2017.

O autor de "Flower Boy", nomeado nos Grammys de 2017 para Melhor Álbum Rap, estabeleceu, desde o início, uma conexão com o público, que o foi acompanhando em vários refrões, desde "911" a "Who Dat Boy".

Perante a chuva que marcou a abertura de portas do recinto, pelas 16:00, o público foi entrando de forma 'tímida' no espaço. Os Fogo Fogo, projeto português que apresentou o EP "Nha Cutelo", lançado no último domingo, abriram o dia pelas 17:30, a mesma hora de Foreign Poetry.

"Em Londres somos conhecidos pela chuva, portanto pensamos em vir para Portugal apanhar um bocadinho de sol, mas ele não quis nada connosco", disse à Lusa Claire Sliwerski, que veio da capital inglesa para assistir ao festival, após ter passado, também, pelo Primavera Sound em Barcelona.

João Miranda, de 28 anos, é já presença habitual, e explicou à Lusa que o certame "é o que leva a lados mais alternativos", manifestando ainda curiosidade para "um leque de artistas de 'hip hop'", incluindo Tyler, the Creator, além de admitir vir "descobrir artistas".

O português Moullinex marcou presença no Palco Super Bock pelas 23:25, e Luís Clara Gomes reforçou, em declarações à Lusa, a estreia de "Dream On" ao vivo, novo 'single' do produtor, criado "em dois dias" e no qual tentou "contrariar a forma normal de trabalhar", muito perfecionista.

A atuação assentou sobretudo em "Hypersex", disco lançado em 2017, com o produtor a elogiar a "confluência de coisas muito boas a acontecer na música portuguesa, apesar de não haver apoios".

"Estamos a ir numa direção incrível, tanto no lado da procura do público, como na quantidade de pessoas a fazer música, mesmo que tenham outros trabalhos", acrescentou.

A fechar o palco principal esteve Jamie XX, músico e produtor que se celebrizou como parte da banda The XX, chamando o público para o primeiro grande momento de música eletrónica no Primavera Sound, que ainda vai apresentar nomes como Nils Frahm, Marcel Dettmann ou Denis Sulta.

O arranque do festival portuense, uma extensão do mesmo evento em Barcelona, contou com dezenas de concertos, como de Ezra Furman, Rhye, Mall Grab ou Gerd Janson, com a 'festa' a continuar madrugada dentro até à última atuação marcada, do alemão Motor City Drum Ensemble, a começar pelas 03:00.

A sétima edição do NOS Primavera Sound no Porto realiza-se de quinta-feira a sábado, com passes gerais esgotados e os bilhetes diários a custarem 60 euros para os dois primeiros dias, estando o terceiro já totalmente lotado.

Na sexta-feira, vão marcar presença nomes como A$AP Rocky, Fever Ray, Vince Staples ou Grizzly Bear, enquanto o sábado conta com Nick Cave & The Bad Seeds, Public Service Broadcasting, Mogwai ou The War on Drugs.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.