Meteorologia

  • 22 ABRIL 2024
Tempo
26º
MIN 14º MÁX 27º
Lar Conselhos Depois do Natal, o que fazer ao lixo...

Depois do Natal, o que fazer ao lixo que ficou por casa?

A recomendação da DECO Proteste é que "não coloque tudo no lixo indiferenciado", porque "há muitos materiais que podem e devem ser colocados no ecoponto". 

Depois do Natal, o que fazer ao lixo que ficou por casa?
Notícias ao Minuto

16:18 - 26/12/22 por Notícias ao Minuto 

Casa Conselhos

O Natal passou e deixou muito lixo acumulado na casa dos portugueses. Da embalagem ao papel de embrulho, o que fazer agora com os resíduos que foram ficando espalhados? A recomendação da DECO Proteste é que "não coloque tudo no lixo indiferenciado", porque "há muitos materiais que podem e devem ser colocados no ecoponto"

Ecoponto azul

  • Papel de embrulho - Se não for revestido a plástico nem contiver brilhantes, deve ser colocado no ecoponto. Retire a fita-cola e coloque-a no lixo comum;
  • Caixas de cartão;
  • Folhetos e revistas;
  • Envelopes - Incluindo os que têm uma janela de plástico;
  • Cartas do pai natal - Escritas à mão ou impressas, devem ser colocadas no ecoponto;
  • Brochuras/Manuais de instruções;
  • Talões.

Ecoponto amarelo

  • Pacote de leite e natas - Espalme antes de colocar no ecoponto;
  • Caixa de brinquedo com janela de plástico - Caixas de cartão que tenham uma janela de plástico devem ser colocadas no ecoponto azul e a janela separada e colocada no ecoponto amarelo;
  • Embalagem de uvas passa.

Ecoponto verde

  • Garrafas de vinho;
  • Garrafas de champanhe;
  • Garrafas de cerveja;
  • Garrafas de outras bebidas espirituosas. 

E a árvore de Natal?

De acordo com o portal de sustentabilidade da DECO Proteste, uma árvore artificial, de plástico, "por não ser uma embalagem, não deverá ir para o ecoponto".

"Deve conservá-la por muitos anos, para compensar a pegada que custou: terá vindo de qualquer parte do mundo, o que implica pegada ambiental decorrente do fabrico e do transporte; usa plástico e metal, materiais que resultam de recursos de origem fóssil, e assim por diante", pode ler-se. 

Já o pinheiro natural "também terá custos para o planeta", porque "é necessário um novo a cada ano, o que implica o abate de uma árvore. Apesar de o impacto desta árvore ser muito inferior ao da congénere artificial, ao comprar, certifique-se de que a sua origem é sustentável e que não provém de práticas de desflorestação".

"Não compre árvores originárias de fora de Portugal e dê preferência às que foram cortadas para manter o terreno limpo e prevenir incêndios. Se tiver um terreno grande, compre uma árvore em vaso e depois da época natalícia plante a árvore no terreno. Em último caso, entregue-a num ecocentro", recomenda a DECO.

Leia Também: ASAE manda retirar 21 toneladas de carne distribuída em mais de 270 lojas

Campo obrigatório