Meteorologia

  • 10 AGOSTO 2022
Tempo
26º
MIN 17º MÁX 26º
Imobiliário Construção Empresa do grupo DST ganha contrato ...

Empresa do grupo DST ganha contrato para fachada em Paris

A bysteelfs, do grupo DST, anunciou hoje ter ganhado um contrato de cinco milhões de euros para construção do sitema de fachadas da Arena Porte de la Chapelle, em Paris, que acolherá provas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2024.

Empresa do grupo DST ganha contrato para fachada em Paris
Notícias ao Minuto

08:28 - 07/07/22 por Lusa

Casa DST

Em comunicado, a empresa adianta que "o contrato assinado com a Bouygues insere-se numa operação de 136 milhões de euros promovida pelo concelho parisiense", estando a seu cargo o 'design' e execução de uma fachada com cerca de 10.000 metros quadrados em alumínio, vidro e material compósito, prevista no projeto de arquitetura elaborado pelos gabinetes SCAU e NP2F.

Com um prazo de execução de cinco meses, a obra estará pronta no verão de 2023.

De acordo com a empresa portuguesa, a Arena Porte de la Chapelle servirá de palco às provas de 'badminton' e ginástica dos Jogos Olímpicos 2024 e às provas de 'badminton' e halterofilismo dos Jogos Paralímpicos 2024, provas que se realizam em Paris, França.

"No total, a infraestrutura de 26.000 metros quadrados contará com uma sala com capacidade para 8.000 pessoas, dois ginásios para os habitantes das comunidades mais próximas e uma zona de lazer e comércio com 2.600 metros quadrados", precisa.

Já no exterior "vão ser criados 3.000 metros quadrados de zonas verdes, 6.000 metros quadrados de jardins em coberturas e uma zona com vista panorâmica sobre a cidade", acrescenta.

Segundo a bysteelfs, após os Jogos Olímpicos 2024, a Arena Porte de la Chapelle será "a residência do Paris Basketball, o maior clube de basquetebol da capital francesa, e funcionará também como o 'hub' cultural do Norte da cidade, servindo para palco de grandes espetáculos".

A empresa do dstgroup destaca a redução do impacto ambiental como "um desafio da maior importância tanto na fase de projeto, como na gestão desta obra".

"Mais de 95% das 944 toneladas de resíduos produzidos na construção serão revalorizados e 45% do betão utilizado é de baixo carbono, evitando assim a emissão de 1.300 toneladas de CO2 [dióxido de carbono]", avança.

"Por outro lado -- continua - parte dos muros não portantes serão construídos com blocos de terra e as 8.000 cadeiras para espetadores serão feitas a partir de 70 toneladas de resíduos plásticos recolhidos nos quarteirões mais próximos".

Citado no comunicado, o presidente executivo (CEO) da bysteel (também do grupo DST), Rodrigo Araújo, afirma: "Participar numa obra com este nível de preocupação ambiental é muito importante para nós, porque é uma oportunidade para confirmarmos a mudança de paradigma no setor da construção. Cada vez se investe mais e melhor em inovação, na procura de soluções mais eficientes e sustentáveis. É neste futuro mais ecológico que a bysteel e a bysteelfs se colocam".

Conforme recorda, França foi o mercado onde, em 2012, a bysteel iniciou o seu processo de internacionalização na Europa. Em 2012 assinou ali o seu primeiro contrato, no valor de 250 mil euros, que lhe "abriu portas para aquela que é hoje a geografia com maior volume de negócio para a bysteel e a bysteelfs".

Este ano, a carteira de negócios da bysteel e da bysteelfs neste país ultrapassa os 50 milhões de euros, englobando obras como a renovação do imóvel de escritórios PB10 (agora Altiplano), no centro financeiro de La Defense, ou a LDLC Arena, em Lyon, que será "a maior sala de espetáculos fora de Paris", com capacidade para 16.000 espetadores.

A bysteelfs é uma empresa do dstgroup especializada na conceção, engenharia e execução de fachadas e envelopes arquitetónicos para edifícios. Localizada nas atuais instalações do grupo, em Braga, a empresa abriu recentemente uma unidade fabril com uma área de cerca de 8.000 metros quadrados.

Esta nova empresa do dstgroup complementa a oferta da bysteel nas áreas das estruturas metálicas, permitindo ao dstgroup "responder 'chave na mão' às diversas solicitações dos mercados internacionais".

Leia Também: Amorim 'risca' Eduardo Quaresma dos planos da nova época

Campo obrigatório