Meteorologia

  • 17 AGOSTO 2022
Tempo
26º
MIN 17º MÁX 26º
Imobiliário Arrendamento Rendas mais caras no 1.º trimestre. ...

Rendas mais caras no 1.º trimestre. Preço mediano estava nos 6,16 €/m2

No 1º trimestre de 2022 a renda mediana dos 23.934 novos contratos de arrendamento em Portugal atingiu 6,16 €/m2. Estes dados são ainda provisórios.

Rendas mais caras no 1.º trimestre. Preço mediano estava nos 6,16 €/m2

A renda mediana de novos contratos cresceu 6,4% no primeiro trimestre do ano para 6,16 euros por metro quadrado (€/m2), de acordo com os dados divulgados, esta terça-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). 

"No 1º trimestre de 2022 (dados provisórios) a renda mediana dos 23.934 novos contratos de arrendamento em Portugal atingiu 6,16 €/m2", pode ler-se no relatório do INE. 

Este valor da renda mediana dos novos contratos de arrendamento, explica a agência de estatísticas, representa um crescimento homólogo de 6,4% e o número de novos contratos aumentou 19,8% face ao 1.º trimestre de 2021.

"Relativamente ao 4.º trimestre de 2021, a renda mediana aumentou em 15 das 25 sub-regiões NUTS III. As rendas mais elevadas registaram-se na Área Metropolitana de Lisboa (9,10 €/m2), Algarve (7,12 €/m2), Região Autónoma da Madeira (6,98 €/m2) e Área Metropolitana do Porto (6,58 €/m2)", revela o INE. 

No 1.º trimestre de 2022, verificou-se um aumento homólogo da renda mediana em 23 dos 24 municípios com mais de 100 mil habitantes e evidenciaram-se, com os maiores crescimentos homólogos, os municípios do Funchal (+17,2%), Matosinhos (+14,9%) e Vila Nova de Famalicão (+14,6%).

Nas áreas metropolitanas destacaram-se com valores e taxas de crescimento homólogo das rendas superiores aos do país, os municípios de Lisboa (12,00 €/m2 e +9,7%), Cascais (11,25 €/m2 e +7,8%), Oeiras (10,53 €/m2 e +9,8%) e Porto (9,23 €/m2 e +11,2%).

[Notícia atualizada às 11h06]

Leia Também: As rendas e outras 3 coisas que deve saber para começar o dia

Campo obrigatório