Meteorologia

  • 28 JANEIRO 2022
Tempo
12º
MIN 9º MÁX 17º

Edição

Finanças Investimentos Investimento imobiliário na Europa p...

Investimento imobiliário na Europa poderá aumentar 5% este ano

O crescimento do setor logístico e residencial, sobretudo na área dos ativos multifamiliares, serão os principais impulsionadores deste aumento de investimento, segundo previsões dos especialistas da Federação Internacional de Imóveis de Espanha (FIABCI).

Investimento imobiliário na Europa poderá aumentar 5% este ano

Durante este ano, o investimento imobiliário na Europa poderá aumentar cerca de 5%. Quem o prevê são os especialistas da Federação Internacional de Imóveis de Espanha (FIABCI), que divulgam que o mercado imobiliário europeu irá recuperar dos níveis pré-pandemia, durante este ano.

Segundo as previsões, avança o Observatorio Inmobiliario, o crescimento do setor logístico e residencial, sobretudo na área dos ativos multifamiliares, serão os principais impulsionadores deste aumento de investimento. Em sentido inverso, os escritórios e o retalho, devido à incerteza gerada pela evolução da pandemia, serão  os menos expressivos.

"Na Europa, o mercado imobiliário comercial prevê uma boa evolução em 2022 e, embora seja difícil prever o impacto que a evolução da pandemia pode gerar, existem algumas tendências claras", começa por revelar Anna Puigdevall, diretora da FIABCI Espanha e diretora-geral da Associação Nacional de Agentes Imobiliários (ANAI).

Tendências essas que a diretora-geral faz sobressair "como o interesse dos investidores em no setor logístico e a tendência verificada, nos últimos meses do ano passado, no setor residencial".

Mais especificamente, Puigdevall garante que "as previsões são boas e um aumento de 5% no investimento imobiliário é esperado em toda a Europa". Nesse sentido, reconhece que "existe alguma incerteza sobre a evolução de setores como escritórios ou retalho, ativos onde os investidores operam com mais cautela desde o início da pandemia".

Leia Também: Fundos imobiliários geriram mais 133,7 milhões do que em outubro

Campo obrigatório