Meteorologia

  • 27 JUNHO 2022
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 23º
Imobiliário Habitação Procura por residências de estudante...

Procura por residências de estudantes cresce na Europa. E em Portugal?

Análise da Savills mostra que Portugal foi um dos países europeus em que se registou um aumento anual médio de 2,4% do número de estudantes no ano letivo 2020/2021, face ao ano anterior.

Procura por residências de estudantes cresce na Europa. E em Portugal?

Nos próximos cinco anos, a procura por soluções residenciais de estudantes deverá aumentar significativamente na Europa. Esta é uma das conclusões do relatório 'European Student Housing: Forever Young', da consultora imobiliária internacional Savills, enviado ao Notícias ao Minuto. E em Portugal?

Dados da Savills indicam que, entre os anos letivos 2019/2020 e 2020/2021, foi registado um crescimento médio anual de 2,4% estudantes em Portugal, Suécia, Dinamarca, Itália, Países Baixos, França, Alemanha, Espanha, Polónia, República Checa e Reino Unido. 

"No ano académico de 2020/2021, Portugal registou um total de 411.995 alunos, dos quais 14% são alunos internacionais. Com uma taxa de crescimento média de 10% nos últimos de cinco anos e uma oferta ainda escassa, Portugal apresenta-se como um dos mercados com maior potencial de desenvolvimento de projetos PBSA", refere Alexandra Gomes, Head of Research da Savills Portugal, citada em comunicado.

Com base em dados da Oxford Economics, o relatório da Savills avança que o número total de indivíduos com idades compreendidas entre os 20 e 29 anos nas cidades em que se encontram as maiores concentrações de instituições de ensino tem vindo a aumentar desde 2017, após mais de uma década de diminuição.

Em comunicado, as previsões da Savills apontam para o aumento da pressão sobre os valores de arrendamento em localizações em que a oferta de PBSA seja limitada. Nesta senda, a consultora prevê ainda um aumento de cerca de 1% da população total de indivíduos entre os 20 e 29 anos nos próximos cinco anos em Lisboa. Já no Porto, espera-se uma diminuição de cerca de 0,5%, pelo que a cidade de Lisboa deverá figurar como uma das localizações mais atrativas para o desenvolvimento de projetos no setor PBSA.

Leia Também: Universidades Nova, de Évora e do Algarve criam consórcio "inédito"

Campo obrigatório