Meteorologia

  • 07 DEZEMBRO 2021
Tempo
15º
MIN 13º MÁX 17º

Edição

Imobiliário Escritórios Madrid e Barcelona batem recorde de ...

Madrid e Barcelona batem recorde de 'stock' de escritórios partilhados

Os espaços de coworking em Madrid representam 1,26% do total do 'stock' de escritórios, e em Barcelona o valor sobe para 2,57%. Ambos os números marcam um recorde, superando os níveis de 2019, quando se verificou 1,20% de stock deste tipo de espaços de trabalho em Madrid e de 2,36% em Barcelona.

Madrid e Barcelona batem recorde de 'stock' de escritórios partilhados

Tanto em Madrid como em Barcelona, as empresas de escritórios partilhados retomaram os seus planos de expansão anteriormente contidos no início da pandemia. Esta é a principal conclusão implícita no relatório 'Flexible Offices' realizado pela Cushman & Wakefield, juntamente com a associação de espaços de trabalho flexíveis ProWorkSpaces, a que a Iberian.Property teve acesso.

Segundo a plataforma para investimento em Portugal e Espanha, que avança com a informação, o estudo divulga uma tendência de recuperação baseada no novo impulso na contratação de escritórios partilhados, mas sobretudo na expansão da superfície de espaço coworking por parte dos operadores de ambas as cidades.

"Os espaços partilhados já não estão exclusivamente focados em empresas ou startups tecnológicas, mas também em grandes empresas que não tinham sido utilizadores destes espaços", revela avier Bernades, responsável pelo Business Space da Cushman & Wakefield, em Espanha.

De acordo com o mesmo relatório, os espaços de trabalho partilhado em Madrid representam 1,26% do total do 'stock' de escritórios, e em Barcelona o valor sobe para 2,57%. Ambos os números marcam um recorde, superando os níveis de 2019, quando se verificou 1,20% de stock deste tipo de espaços de trabalho em Madrid e de 2,36% em Barcelona.

Relativamente à contratação nos primeiros nove meses do ano, no caso de Madrid foram contratados um total de 8.680 m2, o que representa 4% face à área total contratada a nível de escritórios e um aumento de 256% face ao ano de 2020. No caso de Barcelona, o valor atinge os 10.925 m2, o que equivale a 4,7% do total contratado de janeiro a setembro de 2021, e representa um aumento de 126% face a 2020.

No que diz respeito às áreas mais procuradas por deste tipo de espaço, no mercado de escritórios de Madrid continua a ser o CBD, mas a partir de 2016 começou a ser observada uma maior quota de outras áreas, como a Zona Central ou algumas zonas mais descentralizadas. Em Barcelona, a contratação deste tipo de espaço tem sido tradicionalmente concentrada em novas áreas de negócio, mas nos últimos anos também tem havido exigências noutras áreas, especialmente no Centro da Cidade.

A tendência de subida irá se consolidará nos próximos anos devido "à necessidade de as empresas responderem a novas formas de trabalhar, bem como de poderem adaptar rapidamente a dimensão do seu portefólio de escritórios a mudanças constantes", acrescenta o responsável.

Leia Também: Coworking. Empresa de escritórios partilhados WeWork estreia-se na bolsa

Campo obrigatório