Meteorologia

  • 21 OUTUBRO 2021
Tempo
19º
MIN 15º MÁX 22º

Edição

Imobiliário Habitação Vendas de casas nos EUA caíram pela ...

Vendas de casas nos EUA caíram pela primeira vez nos últimos 14 meses

Em agosto, as vendas de habitação nos EUA foram 1,5% inferiores face ao período homólogo, sendo esta a primeira queda vista nos últimos 14 meses. No entanto, continuam acima dos níveis pré-pandemia.

Vendas de casas nos EUA caíram pela primeira vez nos últimos 14 meses

As vendas de casas nos EUA caíram pela primeira vez nos últimos 14 meses. De acordo com os dados divulgados pela National Association of Realtors, a que a CNBC teve acesso, em agosto, as vendas foram 1,5% inferiores face ao período homólogo. No entanto, continuam acima dos níveis pré-pandemia.

Já em cadeia, as vendas de casas nos EUA diminuíram 2% em agosto face a julho. Este valor traduz uma queda para cerca de 5,88 milhões de unidades.

"O setor da habitação está claramente a assentar", revelou Lawrence Yun, economista-chefe dos corretores de imóveis, que classificou a subida do ano passado como "uma anomalia".

A oferta de casas para venda caiu 1,5% para 1,29 milhões, no final de agosto. Comparativamente ao período homólogo, a oferta baixou 13%. Uma tendência que os especialistas esperam ver ser invertida, com o fim da moratória do despejo. "Esperamos mais inventário a chegar, talvez com o fim da moratória do despejo", referiu Yun.

A escassa oferta elevou o preço médio das casas existentes, vendidas em agosto, para os 356.700 dólares (aproximadamente 304.118 euros). Este valor representa um aumento de 14,9% face a agosto de 2020. 

Ou seja, as casas com um preço inferior a 250 mil dólares (cerca de 213 mil euros) caíram em comparação com há um ano, enquanto as que estavam acima de um milhão de dólares (852.588 mil euros) subiram 40%. Um fator prejudicial, especialmente para os compradores da primeira casa, segundo revela a CNBC.

O número de primeiros compradores caiu 29% do total de todas as vendas, sendo este considerado o valor mais baixo desde janeiro de 2019. Isto porque, geralmente, os primeiros compradores geralmente compõem 40% dos compradores.

Por referencia às taxas de juros da hipoteca, os juros começaram a cair em junho de 3,25% para um mínimo de 2,78%, face ao popular a 30 anos fixado no início de agosto, segundo os dados divulgados pela Mortgage News Daily. Uma queda que deveria ter ajudado os compradores da primeira casa, uma vez que tendem a ter menos margem de manobra financeira. 

Por sua vez, os construtores têm vindo a aumentar os preços para acompanhar os custos elevados dos terrenos, mão-de-obra e materiais.

Leia Também: Pedidos de subsídio de desemprego subiram na semana passada nos EUA

Campo obrigatório