Meteorologia

  • 23 SETEMBRO 2021
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 23º

Edição

Imobiliário Construção Indicadores de produção da construçã...

Indicadores de produção da construção mantêm evolução global positiva

Nos primeiros cinco meses de 2021, ocorreu um aumento da procura dirigida ao segmento da construção e reabilitação de edifícios, com as licenças de construção emitidas pelas Câmaras Municipais a registarem um crescimento de 18,7%, em termos homólogos. A concessão de novo crédito à habitação e a avaliação bancária das casas também seguiram em alta.

Indicadores de produção da construção mantêm evolução global positiva

De acordo com o INE, nos primeiros cinco meses deste ano, os indicadores de produção do setor da construção mantiveram uma evolução globalmente positiva. De acordo com o relatório 'Conjuntura da Construção' de julho 2021, da AICCOPN - Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas, enviado ao Notícias ao Minuto, nos primeiros cinco meses de 2021, ocorreu um aumento da procura dirigida ao segmento da construção e reabilitação de edifícios.

Segundo o mesmo relatório, as licenças de construção emitidas pelas Câmaras Municipais a registarem um crescimento de 18,7%, em termos homólogos, em face de variações de 19,3% nas construções novas e de 17,0% nas obras de reabilitação licenciadas. Por referência às licenças emitidas para construção de fogos em construções novas, apurou-se um aumento de 15,4% para 11.800, lê-se no documento.

Relativamente à concessão de novo crédito à habitação pela banca, nos primeiros cinco meses do ano, atingiu-se um montante médio mensal de 1.177 milhões de euros, ou seja, subiu 30,5%, face ao mesmo período do ano anterior, informa a AICCOPN.

Por sua vez, a avaliação bancária na habitação manteve a trajetória de valorização, com um aumento de 8,6% face a igual mês do ano anterior, para 1.215 euros por m2, valor que corresponde a um novo máximo histórico, faz ainda notar a associação.

Já no primeiro semestre, o montante promovido de concursos de obras públicas totalizou cerca de 2.203 milhões de euros. Este valor traduz uma quebra de 17,7% face aos 2.678 milhões promovidos no período homólogo.

As empreitadas de obras públicas com contrato e registadas no Portal Base atingiram um volume de 1.867,4 milhões de euros, isto é, verificou-se um aumento de 68,1% em termos de variação homóloga, lê-se ainda no relatório.

Leia Também: Obras Públicas: Menos concursos promovidos, mais contratos celebrados

Campo obrigatório