Meteorologia

  • 17 SETEMBRO 2021
Tempo
20º
MIN 18º MÁX 26º

Edição

Imobiliário Arrendamento Preço médio de casas para arrendar f...

Preço médio de casas para arrendar fixou-se nos 1.012 euros em julho

O valor médio de arrendamento estabilizou em julho de 2021 e situa-se agora nos 1.012 euros. Depois de decrescer desde meados de 2020, tem divulgado um crescimento ligeiro e progressivo desde abril deste ano, mês em que contrariou pela primeira vez a tendência de quebra.

Preço médio de casas para arrendar fixou-se nos 1.012 euros em julho

O preço médio de arrendamento estabilizou no mês passado (julho de 2021) depois de ter subido três meses consecutivos. De acordo com os dados do portal Imovirtual, enviados às redações, o valor das habitações para arrendar fixou-se nos 1.012 euros, em média. Este valor surge depois de o preço médio de arrendamento ter aumentado ligeiramente e se ter consolidado desde abril deste ano, mês quando contrariou a tendência de quebra, pela primeira vez, lê-se no documento.

Ainda assim, registou-se um decréscimo de 4% relativamente ao período homólogo. Já em cadeia, isto é, em comparação com junho de 2021, verificou-se uma descida de 6,5%. 

Segundo o portal, o aumento mais significativo foi observado no distrito de Vila Real que registou uma subida de 22,6%, face a junho, subindo de 425 euros para 521 euros. Por seu turno, Beja e Viana do Castelo ocuparam, respetivamente, o segundo e terceiro lugar, com elevações de 7,4% (451 euros) e 5,2% (564 euros), pela mesma ordem.

Do outro lado da tabela, Bragança (-6,4%), Viseu (-3,9%) e Leiria (-2,6%) foram os distritos com as maiores quebras do preço médio de arrendamento relativamente ao mês anterior, segundo os dados hoje divulgados.

Já face ao período homólogo (julho do ano passado), foi Guarda que registou o maior aumento do valor médio (33,5%), passando dos 322 euros para 430 euros. Seguem-se Vila Real a registar um subida de 24,6% e Portalegre (+12,6%).

Por outro lado, as maiores descidas do valor médio comparativamente ao mesmo mês do ano passado verificaram-se em Bragança com uma queda de 22,5%, a passar de 472 euros para 366 euros, e Beja (-22,2%), que baixa de 580 euros para 451 euros.

E o preço médio de venda?

No que concerne ao preço médio de venda, registou-se um ligeiro aumento de 0,9% em julho (371.880 euros), em comparação com 368.694 euros vistos em junho.

Ainda de acordo com o portal, por referência ao ano passado, continuou-se a verificar uma tendência de subida. Isto porque em julho de 2021, anotou-se o crescimento de 9% frente ao período homólogo.

A registar um maior incremento, pela terceira vez, está o distrito de Évora. Relativamente ao mês anterior, verificou-se um aumento de 5,7% do valor médio de venda. Já Portalegre voltou a assumir o segundo lugar, com um aumento de 3,2% face a junho, pode-se ler no comunicado. 

A cair, está apenas Bragança com uma queda de 0,7% em julho, quando comparados com os valores do mês anterior, sendo que o valor médio situa-se agora nos 217.751 euros. Segundo o Imovirtual, todos os outros distritos demonstraram um aumento do valor médio de venda.

Quando feitas as comparações entre julho de 2021 com o mesmo mês de 2020, Évora voltou a verificar a maior subida (34,9%), fixando-se agora em 285.811 euros, face aos 211.875 euros registados no ano passado. Seguem-se Beja com uma subida de 16% e a Região Autónoma da Madeira (+14,2).

Fazem ainda notar os mesmos dados que, pela segunda vez consecutiva, Guarda voltou a ser o distrito com a maior quebra verificada relativamente ao período homólogo (7,5%), com o valor médio a passar dos 122.259 euros para os 113.090 euros. 

Leia Também: Onde é mais barato comprar uma moradia do que um apartamento?

Campo obrigatório