Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2021
Tempo
17º
MIN 17º MÁX 26º

Edição

Imobiliário Lojas 'Os olhos são os primeiros a comer':...

'Os olhos são os primeiros a comer': Sete lojas com design pelo mundo

Vendem produtos distintos, mas numa coisa estas lojas são iguais, sabem que para obter resultados bem sucedidos, o seu impacto deverá começar de fora para dentro.

Aēsop, Amesterdão -

Nunca a expressão popular 'os olhos são os primeiros a comer' fez tanto sentido.

Nunca a expressão popular 'os olhos são os primeiros a comer' fez tanto sentido. Segundo a revista Urbana, que reuniu as lojas mais distintas, das quatro partes do mundo, vendem produtos distintos, mas numa coisa são todas iguais, sabem que para obter resultados bem sucedidos, o seu impacto deverá começar de fora para dentro. Ora veja.

Aēsop, Amesterdão

De acordo com a revista, uma loja Aēsop é sempre motivo de ‘wow’. Esta fica na Utrechtsestraat em Amesterdão e é o espaço de retalho inaugural de Valentin Loellmann.

Com sede em Maastricht, o criativo alemão, conhecido principalmente pelos seus móveis de madeira sinuosos, foi abordado pela equipa de design europeu da Aēsop para assumir os interiores.

Sulwhasoo, Seul

A empresa sul-coreana de cosméticos Sulwhasoo recrutou os arquitetos Neri & Hupara a sua nova loja na Coreia do Sul, informa a Urbana. O resultado? Um espaço onde os especialistas juntaram os conceitos de boutique de luxo e salão de beleza num só, mas sobretudo onde o latão exibe todo o seu charme.

Esta loja é distribuída por cinco andares num dos bairros mais luxuosos da capital. A intervenção na fachada com trama de filamentos de latão estende-se por todo o recinto criando uma estrutura contínua que remete para as lanternas orientais.

De realçar a espécie de grade que também serve como uma subtil divisória de espaço. O conceito de lanterna evocado por esta treliça dourada é reforçado no interior da loja por uma série de conjuntos de espelhos e lâmpadas suspensas no interior da grelha, faz notar a revista.

Cartier, Paris

É Bruno Moinard que assina a nova cara da loja Cartier, na rua Faubourg Saint-Honoré, em Paris. O arquiteto de interiores, cenógrafo, designer, pintor e fotógrafo realizou um verdadeiro trabalho de ourives para reorquestrar o projeto de interiores da casa Cartier.

Lá dentro, o artista criou uma espécie de Via Láctea que faz brilhar as peças de joalheria da coleção Les Galaxies de Cartier. No teto, é visível uma obra evocando as ondulações concêntricas da água foi realizada em torno de um lustre de vidro criando um maravilhoso efeito cénico.

Mon Parnasse, Madrid

Segundo a Urbana, este é um novo conceito de floricultura em que as flores estão ao alcance de todos. O arquiteto Woz’ere, da Canobardin, desenvolveu um ambiente que remete para os mercados de flores parisienses: Um mostruário em que o mobiliário desaparece para dar todo o destaque às flores e plantas.

No acabamento da fachada, uma moldura de contraplacado de pinho pintado que compõe uma fachada em estilo parisiense. Para proteger e abrigar essa caminhada, um longo toldo vertical.

Céline, Miami

O mármore envolve uma estrutura existente de dois pisos na loja da Céline. As fachadas, pisos, paredes e tetos são inteiramente feitos do material. O projeto é assinado por Valerio Olgiati.

Selexyz Bookstore, Maastricht

O interior contemporâneo do edifício desta Livraria Selexyz Dominicanen foi projetado pelos arquitetos Merkx + Girod em Maastricht, Holanda, para os livreiros holandeses Selexyz Dominicanen, segundo informa a Urbana. A Merkx + Girod foi contratada pelos livreiros holandeses para converter o interior desta antiga Igreja Dominicana numa livraria moderna.

A loja manteve o estilo arquitetónico original e alterou a decoração com a adição de elementos modernos, fazendo parecer uma igreja ‘nova’. A sensação de ler livros aqui sob o incrível teto alto já lhe valeram o titulo de 'livraria do Paraíso'.

Leia Também: Mais de metade dos portugueses faz compras online. Preço é fator decisivo

Campo obrigatório