Meteorologia

  • 24 SETEMBRO 2021
Tempo
21º
MIN 17º MÁX 23º

Edição

Imobiliário Construção Materiais de construção irão crescer...

Materiais de construção irão crescer 2,3% este ano, estima a APCMC

Já para 2022 estima-se uma subida de 2,5% e para 2023 de 2,7%. De acordo com os dados do estudo 'Evolução dos Negócios no Comércio de Materiais de Construção', verifica-se um aumento em todos os subsetores que constituem o mercado dos materiais de construção.

Materiais de construção irão crescer 2,3% este ano, estima a APCMC

Segundo a Associação Portuguesa dos Comerciantes de Materiais de Construção (APCMC), os materiais de construção irão crescer ainda este ano. De acordo com o estudo 'Evolução dos Negócios no Comércio de Materiais de Construção', elaborado pelo economista Manuel Carlos Nogueira, para a APCMC, no que concerne ao volume de negócios dos materiais de construção, prevê-se para este ano um aumento na ordem dos 2,3%. Já para 2022 estima-se uma subida de 2,5% e para 2023 de 2,7%. 

Segundo o comunicado enviado às redações, em 2020, o volume de negócios do setor do comércio e distribuição dos materiais de construção apresentou um incremento de 2,1%.

Agora, ao analisar a performance esperada em cada um dos subsetores que constituem o mercado dos materiais de construção, verifica-se que no 'Comércio grosso de máquinas, indústria extrativa, construção e engenharia civil', espera-se um crescimento de 1,7%, este ano, de 1,8% em 2022 e de 2% em 2023", lê-se no documento. 

De acordo com o comunicado, no 'Comércio grosso de minério e metais”, é esperado uma subida de 2,3% este ano e nos próximos dois anos de 2,5% e 2,7%, respetivamente.

Já no subsetor 'Comércio por grosso de madeira, materiais de construção e equipamento sanitário', o aumento esperado é de 2,3%, este ano, e de 2,4% e 2,6%, nos próximos dois anos, enquanto que no 'Comércio por grosso de ferragens, ferramentas e artigos para canalização e aquecimento', o incremento esperado este ano é de 2,3% e nos próximos dois anos poderá atingir os 2,5% e os 2,7%, respetivamente, divulgam os dados do estudo elaborado por Manuel Carlos Nogueira.

No caso do 'Comércio a retalho de ferragens, tintas, vidros, equipamento sanitário, ladrilhos e similares', o maior subsetor no comércio de materiais de construção, espera-se um aumento de 2,6% para 2021 e as estimativas apontam para crescimentos da ordem dos 2,8% e 2,9%, nos próximos dois anos.

Leia Também: Construção: APCMC prevê subida de 3% no volume de negócios ainda este ano

Campo obrigatório